Swim Channel

Arquivo : Pinheiros

O retorno de Cesar Cielo
Comentários Comente

swimchannel

Depois de quase um ano sem competir finalmente Cesar Cielo caiu na água. O maior nadador brasileiro de todos os tempos inicia em 2017 uma nova fase em sua carreira buscando recuperação e afirmação. A ausência dos Jogos Olímpicos do Rio-2016 ficou para trás e o velocista fez no Torneio Regional da 1ª Região da Federação Aquática Paulista seu primeiro evento após o fatídico Troféu Maria Lenk do ano passado. De volta a piscina do Esporte Clube Pinheiros desde quando superou o recorde mundial, Cielo nadou duas vezes no último sábado.

A primeira prova foi os 50m livre. Ano passado no Maria Lenk ele havia nadado duas vezes na casa dos 21 segundos: 21s99 na eliminatória e 21s91 na final. No sábado marcou 22s44, um tempo alto para os padrões Cielo e que é apenas o 15º do ranking mundial até o momento. Porém, segundo um estudo do Coach Alex Pussieldi a estreia de Cielo na temporada é bem similar aos tempos obtidos em suas primeiras provas no ano desde 2010. Apenas para efeito de comparação caso ele tivesse feito este tempo no Arena Pro Swim Series de Indianápolis no início do mês, Cielo terminaria em quarto lugar apenas 21 centésimos atrás de Bruno Fratus que levou o bronze na ocasião. A tarde ele voltou para nadar os 50m borboleta onde marcou 23s75, sexto melhor tempo do mundo em 2017.

Cesar Cielo voltou a nadar na piscina do Pinheiros – Foto: Satiro Sodré/SSPress

Em seu período de ausência das piscinas, o nadador sumiu dos holofotes. Aproveitou para descansar, passar mais tempo com a família e tirar as lições da não-classificação olímpica. Não concedeu entrevistas e recusou o convite para carregar a tocha olímpica antes do Rio-2016. Houve quem apostasse que Cielo iria se aposentar, mas o nadador resolveu voltar aos treinamentos e tentar algo mais nas piscinas. Em entrevista ao Globo Esporte ele afirmou que não tem planos para esticar demais a carreira e que nadará temporada por temporada, além de ser uma espécie de mentor para a nova geração de nadadores.

Cielo confirmou que estará presente no Troféu Maria Lenk no início de maio no Rio de Janeiro, porém, ainda há dúvidas sobre quais provas ele nadará. Inicialmente ele afirmou que nadaria apenas os 50m borboleta, porém, se nadar só esta prova não terá chances de ir ao Campeonato Mundial de Budapeste já que um dos requisitos para integrar a seleção é participar de provas olímpicas. Como resultado dos 50m livre no Torneio Regional foi positivo é bem possível que ele nade também a distância no Maria Lenk. E quem sabe desse grão em grão Cielo consiga uma vaga para Budapeste-2017.

Por Guilherme Freitas


Bruno Fratus: cada vez mais constante nos 50m livre
Comentários Comente

swimchannel

Após uma overdose de natação nos últimos meses com a disputa dos Jogos Pan-Americanos de Toronto, do Campeonato Mundial de Kazan e das duas primeiras etapas da Copa do Mundo da Finaem Moscou e Paris, as atividades dentro d’água não param. Começou na última segunda-feira o Troféu José Finkel, campeonato nacional absoluto e que vem sendo realizado na novíssima piscina do Esporte Clube Pinheiros em São Paulo.

Mesmo sem a presença da sueca Sarah Sjostrom (que nadaria o evento pelo clube da casa) e de Cesar Cielo (que se recupera de uma lesão no ombro) a competição conta com boa parte da elite da natação brasileira neste período pós-grandes competições. Curiosamente, o Finkel-2015 acontece apenas uma semana depois do Mundial de Kazan e não será seletiva para os Jogos Olímpicos do Rio-2016. Uma competição que poderia ser taxada de desmotivante, mas que vem registrando resultados interessantes.

Bruno Fratus posa com a medalha de ouro - Foto: Vitor Silva / SSPress.

Bruno Fratus posa com a medalha de ouro – Foto: Vitor Silva / SSPress.

Um desses resultados aconteceu nos 50m livre masculino. Medalhista de bronze em Kazan, Bruno Fratus era o favorito disparado para a vitória. Após subir ao pódio no Pan e no Mundial, o velocista mostrou que não sentiu tanto assim o impacto de nadar duas competições internacionais. Tanto nas eliminatórias, quanto na final, Fratus completou a prova abaixo dos 22 segundos, sendo o único entre todos os participantes a conseguir isso. Nas eliminatórias ele cravou 21s99 e na final abaixou para 21s89.

Antes considerado mais um nome para disputar medalhas e vagas em finais de grandes competições, Fratus é hoje uma realidade. Prova disso é sua regularidade em completar os 50m livre na casa dos 21 segundos. Só neste ano foram oito vezes abaixo dos 22 segundos. Um detalhe é que em duas oportunidades ele conseguiu repetir a façanha no mesmo dia: no Troféu Maria Lenk e agora no Finkel, mostrando que tem fôlego para nadar mais rápido entre duas etapas. E na carreira já são 31 vezes abaixo dos 21 segundos. Bruno Fratus, um nome candidato cada vez mais forte para subir no pódio olímpico ano que vem.

Fratus já nadou 31 vezes abaixo dos 22 segundos - Foto: Satiro Sodre/SSPress

Fratus já nadou 31 vezes abaixo dos 22 segundos – Foto: Satiro Sodre/SSPress

Além de Fratus o Finkel-2015 vem registrando alguns bons desempenhos individuais. Podemos destacar os tempos de Andreas Mickosz nos 200m peito (2min11s65) e Henrique Martins nos 100m borboleta (52s32) que nadaram abaixo do índice olímpico nas respectivas provas e chegarão motivados para melhorar ainda mais no Open; as performances de Manuella Lyrio e Nicolas Oliveira nos 200m livre e a vitória na base da raça de Gabriel Ogawa nos 400m medley, fechando a prova com excelentes 57s86. O Finkel termina no próximo sábado e até lá mais resultados positivos poderão acontecer.

Por Guilherme Freitas


Os clubes campeões do Troféu Maria Lenk
Comentários Comente

swimchannel

Na próxima segunda-feira tem início a 54ª edição do Troféu Maria Lenk, principal competição nacional deste primeiro semestre e que será seletiva para o Pan-Pacífico de Gold Coast O tradicional campeonato foi criado em 1962 e recebeu o nome de Troféu Brasil. Desde então revelou ao mundo grande atletas, mas em 2007 foi rebatizado para Troféu Maria Lenk em homenagem ao maior nome da natação feminina do país. Esse ano teremos quase 40 clubes disputando o evento, porém, apenas oito conseguiram vencer o Troféu ao longo dos anos.

O Pinheiro tem 13 títulos no Maria Lenk, mas não vence desde 2010 - Foto: Satiro Sodré

O Pinheiro tem 13 títulos no Maria Lenk, mas não vence desde 2010 – Foto: Satiro Sodré

Pinheiros e Flamengo são os maiores campeões do evento com 13 títulos cada um. Curiosamente, boa parte dessas vitórias foi conquistada de forma consecutiva quando as equipes mantinham uma hegemonia nacional. O clube paulista foi campeão pela primeira vez em 1977, porém, o auge foi entre 2003 e 2010, quando os pinheirenses venceram oito campeonatos seguidos. O Flamengo também manteve um longo domínio nesta competição, mas nos anos 80. Entre 1980 e 1989 a equipe carioca arrematou nove das dez edições disputadas, oito delas de forma consecutiva.

Atual campeão da competição, o Minas Tênis Clube aparece em terceiro lugar na tabela dos campeões com nove títulos. O primeiro foi apenas em 1988, mas desde então o clube mineiro se firmou como uma das maiores forças da natação nacional é considerado o favorito para vencer a edição deste ano. Uma curiosidade é que em 1994 foram disputadas duas edições do Troféu Brasil e ambas foram vencidas pelo Minas. O Fluminense e o Botafogo têm cinco conquistas cada um, vencidas em sua maioria entre o fim dos anos 60 até a metade dos anos 70 quando a natação carioca era a mais forte do Brasil.

Com 13 títulos, o Flamengo é um dos maiores campeões - Foto: Satiro Sodré

Com 13 títulos, o Flamengo é um dos maiores campeões – Foto: Satiro Sodré

Outros clubes que já foram campeões são o Corinthians, o Vasco da Gama e o Paulistano. O Corinthians, que este ano também é apontado como um dos favoritos, levantou a taça três vezes na década de 60 e não vence a competição há 48 anos. O Vasco venceu seus três títulos entre 1999 e 2001, quando a direção do clube investiu muito dinheiro nas modalidades olímpicas e contratou as principais estrelas da natação nacional. Já o Paulistano venceu as duas primeiras edições do torneio.

Confira abaixo todos os clubes campeões do Troféu Maria Lenk:

Pinheiros com 13 títulos: (1977, 1979, 1993, 1995, 1998, 2003, 2004, 2005, 2006, 2007, 2008, 2009 e 2010)
Flamengo com 13 títulos: (1968, 1980, 1981, 1982, 1983, 1984, 1985, 1986, 1987, 1989, 1991, 2002 e 2012)
Minas Tênis Clube com 9 títulos: (1988, 1990, 1992, 1994, 1994, 1996, 1997, 2011 e 2013)
Botafogo com 5 títulos: (1967, 1971, 1972, 1973 e 1974)
Fluminense com 5 títulos: (1969, 1970, 1975, 1976 e 1978)
Corinthians com 3 títulos: (1964, 1965, 1966)
Vasco da Gama com 3 títulos: (1999, 2000 e 2001)
Paulistano com 2 títulos: (1962 e 1963)

O Minas TC é o atual campeão e tem 9 taças do Troféu Maria Lenk - Foto: Satiro Sodré

O Minas TC é o atual campeão e tem 9 taças do Troféu Maria Lenk – Foto: Satiro Sodré

Por Guilherme Freitas


< Anterior | Voltar à página inicial | Próximo>