Swim Channel

Arquivo : Poliana Okimoto

Poliana Okimoto disputa o Prêmio Brasil Olímpico 2016
Comentários Comente

swimchannel

O Comitê Olímpico do Brasil divulgou a relação dos atletas que disputarão o Prêmio Brasil Olímpico 2016. Como sempre acontece são escolhidos primeiro os melhores esportistas de cada modalidade olímpica e depois os três melhores no geral disputam o prêmio máximo. Desta vez só medalhistas olímpicos estão entre os indicados. E no feminino teremos a presença de uma representante dos esportes aquáticos: Poliana Okimoto, medalha de bronze na maratona aquática de 10 km e primeira nadadora brasileira a subir ao pódio olímpico.

Poliana já conquistou este prêmio uma vez. Foi em 2013 após o grande ano da sua carreira quando ela ganhou três medalhas no Campeonato Mundial de Barcelona-2013. Na ocasião ela disputou o prêmio contra Rafaela Silva e Yane Marques e era a grande favorita ao prêmio. Desta vez as chances de Poliana são menores porque ela concorre contra campeãs olímpicas no Rio-2016: novamente contra Rafaela que foi ouro na categoria até 57kg e a dupla da vela Martine Grael e Kahena Kunze, campeãs na prova 49erFX. No masculino os indicados foram Thiago Braz, campeão olímpico no salto com vara, Serginho, líbero da seleção campeã de vôlei, e Isaquias Queiroz, que ganhou três medalhas na canoagem.

Poliana ganhou o prêmio em 2013 – Foto: Satiro Sodré/SSPress

Na natação o prêmio ficou com Etiene Medeiros. A nadadora pernambucana teve um ano intenso com resultados históricos. Nos Jogos Olímpicos do Rio-2016 atingiu a final nos 50m livre superando o recorde sul-americano na prova com 24s45 na semifinal e ainda foi semifinalista nos 100m livre. No fim da temporada brilhou no Campeonato Mundial de piscina curta em Windsor ao conquistar o bicampeonato mundial nos 50m costas e ganhar uma prata com o revezamento 4x50m medley misto.

Os demais esportes aquáticos também tiveram seus premiados. No polo aquático Felipe Perrone, líder do time no Rio-2016, foi o vencedor; nos saltos ornamentais o prêmio ficou com Hugo Parisi, finalista no Rio-2016 na plataforma sincronizada de 10 metros, e no nado sincronizado as vencedoras foram Luisa Borges e Maria Eduarda Miccuci, que terminaram a prova olímpica do dueto em 13º lugar. Em breve o COB vai lançar a eleição popular na internet para escolha dos melhores atletas e do prêmio atleta da torcida, que vai premiar o atleta mais popular do Brasil em 2016.

Por Guilherme Freitas


Poliana começa o ano com medalha de prata
Comentários Comente

swimchannel

Em 2016 Poliana Okimoto atingiu o ápice da sua carreira conquistando o feito mais importante de sua vida: a medalha de bronze olímpica nos Jogos Rio-2016. Porém, o pódio em Copacabana são águas passadas e a nadadora já mira sua preparação para os próximos Jogos. Neste fim de semana ela deu início ao ciclo olímpico rumo a Tóquio-2020 disputando a primeira etapa da Copa do Mundo da Fina de águas abertas. A Copa teve início de forma conjunta com o Grand Prix, o circuito de longas distâncias da Fina, ambos disputados em águas argentinas.

A etapa inicial da Copa do Mundo em Viedma reuniu 38 atletas de 11 países, incluindo outra medalhista olímpica além da Poliana, a vice-campeão no Rio-2016 Rachele Bruni. A maratona aconteceu no Rio Negro e teve muitos contratempos climáticos, com muita chuva e tempo fechado. Mas isso não intimidou os atletas que fizeram uma grande prova. Na prova feminina a disputada foi acirrada e no fim a italiana Arianna Briddi conseguiu se desgarrar para vencer. Poliana e Rachele chegaram juntas e como não foi possível determinar uma vencedora desta disputa, a organização decidiu declarar as duas como vice-campeãs.

Poliana Okimoto ganhou prata em Viedma - Foto: Satiro Sodre/SSPress

Poliana Okimoto ganhou prata em Viedma – Foto: Satiro Sodre/SSPress

No masculino o domínio italiano com dobradinha de Federico Vanelli e Simone Ruffini. O bronze foi para o francês David Aubry. Dos demais brasileiros que nadaram em Viedma, destaque para Ana Marcela Cunha que terminou em quinto lugar em sua primeira prova depois da cirurgia no baço. Betina Lorscheitter também disputou a maratona e terminou em 14º lugar. No masculino Allan do Carmo foi o mais bem colocado sexto lugar e Fernando Ponte veio logo em seguida na sétima colocação.

Allan do Carmo chegou na sexta colocação perdendo o quinto lugar para o francês Longa Fontaine no toque. Cerca de 19 segundos atrás de Allan, o outro brasileiro na prova, Fernando Ponte na sétima colocação.

Matheus Evangelista foi o melhor brasileiro em Santa Fé – Foto: Francismar Siviero

Matheus Evangelista foi o melhor brasileiro em Santa Fé – Foto: Francismar Siviero

Já o Grand Prix terá em 2017 uma temporada mais curta que o habitual, com apenas quatro etapas. Devido a esses poucos eventos a luta por somar pontos fica bem mais acirrada para os atletas que estão pensando na premiação final. Em uma dura prova de 57 km nas águas do Rio Coronda os torcedores locais puderam vibrar com a vitória de Damian Blaum que cruzou o pórtico de chegada em 8h28min16s, mais de cinco minutos à frente de seus principais concorrentes. Uma vitória incontestável e a primeira de um argentino na prova desde 2003. O italiano Edoardo Stochino levou a prata e o macedônio Evgenij Pop Acev o bronze. No feminino triunfo da Itália com Barbara Pozzobon em 8h53m42s, seguida pela compatriota Alice Franco e a francesa Aurelie Muller.

O Brasil enviou três nadadores para a prova Santa Fé-Corona. Matheus Evangelista foi o melhor deles terminando a prova na quinta colocação. O experiente ultramaratonista aquático Samir Barel terminou em 10º lugar. No feminino, a única representante foi Catarina Ganzeli que concluiu o longo percurso na 11ª colocação.

Damian Blaum venceu a Travessia de Santa Fé-Corona – Foto Luis Cetraro

Damian Blaum venceu a Travessia de Santa Fé-Corona – Foto Luis Cetraro

A Copa do Mundo de águas abertas terá ao todo sete etapas ao longo de 2017 e o próximo desafio será em Abu Dhabi, nos Emirados Árabes Unidos, no dia 11 de março. Já o Grand Prix contará com quatro etapas e a próxima parada será no dia 29 de julho no Lago Ssint Jean, no Canadá.

Por Guilherme Freitas

 


Realeza italiana nas águas de Copacabana
Comentários Comente

swimchannel

E deu Itália no Desafio Rei e Rainha do Mar 2016. Rachele Bruni e Dario Verani triunfaram na prova deste domingo no Posto 5 de Copacabana e levarão as coroas reais para a Itália. Na sexta-feira a dupla já havia dado um primeiro passo ao conseguir a pole position, tendo direito de obter a melhor posição do grid de largada para a prova deste domingo. Um detalhe que fez pouca diferença tendo em vista o constante equilibro e trocas de posições ao longo de todos 2700m nadados e 300m de corrida na areia ao longo das seis voltas.

Na primeira volta Verani conseguiu se destacar iniciando seu nado de forma muito forte, porém, ele não aguentou o ritmo e acabou sendo ultrapassado pelo americano Chip Peterson depois da última boia que arrancou na reta final e manteve a ponta na corrida na areia. Logo depois dos dois estava o brasileiro Allan do Carmo que permaneceu colado aos adversários na entrega dos bastões. Formou-se então um divisão de pelotões com um primeiro grupo formado pelos Estados Unidos, Itália e Brasil amarelo e o outro formado pelos demais.

A dupla italiana campeã do Rei e Rainha do Mar 2016 - Foto: Satiro Sodré/SSPress

A dupla italiana campeã do Rei e Rainha do Mar 2016 – Foto: Satiro Sodré/SSPress

Na primeira volta das mulheres as três se mantiveram na ponta, com Haley Anderson sustentando a liderança e nadando em ritmo tranquilo e controlado. Enquanto Poliana Okimoto e Rachele duelavam pelo segundo posto outras duas nadadoras se aproximaram: a brasileira Betina Lorscheitter e a holandesa Esmee Vermeulen que se juntaram a este primeiro pelotão. Nas duas voltas seguintes o panorama se manteve, com os Estados Unidos sempre a frente e as demais quatro duplas no encalço alternando posições.

No início da última volta masculina Chip Peterson manteve-se na liderança com Allan, Luiz Rogério Arapiraca, Verani e Ferry Weertman em sua cola. Nesta volta Weertman teve um problema batendo em uma das boias e perdendo sua touca. Porém, mesmo com este contratempo o holandês não perdeu contato com os demais e passou a adotar uma estratégia diferente dos demais. Enquanto os quatro ficaram emparelhados lado a lado o atual campeão olímpico ficou atrás pegando a esteira e na hora de transição para a areia conseguiu sair na frente e entregou o bastão para Esmee como líder da prova.

Poliana Okimoto em ação no Rei e Rainha do Mar 2016 -  Foto: Vitor Silva/SSPress

Poliana Okimoto em ação no Rei e Rainha do Mar 2016 – Foto: Vitor Silva/SSPress

Veio então a última volta do desafio com Esmee, Rachele, Haley, Poliana e Betina coladas. Uma das cinco nadadoras seria a nova rainha do mar e partiram com tudo para os últimos 500 metros de prova. Embora a holandesa tenha saído um pouco a frente das demais a experiência em águas abertas falou mais alto e Esmee acabou ficando para trás. Melhor para Rachele e Poliana que arrancaram e passaram a se colocar como favoritas pela vitória. As duas que estiveram no pódio olímpico no Rio-2016 duelaram até o fim, com Haley e Betina coladas logo atrás. A italiana conseguiu ter uma saída melhor da água e assim como na definição do grid de largada arrancou para cruzar a linha de chegada na frente. Poliana chegou logo depois terminando na segunda colocação, seguida por Haley e Betina.

Como previmos esta edição do Rei e Rainha do Mar foi bastante equilibrada, com muitas alternâncias entre os nadadores ao longo de todo o percurso e com a transição da água para a areia fazendo muita diferença. Esta foi a primeira vitória da Itália no Desafio Rei e Rainha do Mar que já teve em edições passadas atletas consagrados como o campeão mundial Valerio Cleri e a medalhista em Mundiais Alice Franco. Que venha agora o Desafio 2017!

Por Guilherme Freitas


Equilíbrio deverá marcar o Rei e Rainha do Mar 2016
Comentários Comente

swimchannel

Amanhã a partir das 11h acontece o Desafio de Elite do Rei e Rainha do Mar 2016 no Posto 6 da Praia de Copacabana. Ao todo são 16 nadadores de sete países, distribuídos em oito duplas (o Brasil terá duas equipes). Na água muitos nomes conhecidos e jovens revelações, entre eles, quatro medalhistas olímpicos, campeões mundiais e medalhistas em etapas da Copa do Mundo da Fina que terão que completar seis voltas de 500m (450m de natação e 50m de corrida). Esta será a edição mais forte da história do Desafio desde que este formato de duplas foi adotado em 2013. Com tanta gente boa dentro d´água é até difícil apontar uma dupla favorita e o equilíbrio deverá acontecer do início ao fim. Hoje alguns deles disputaram as provas com distância mais curta para já ir entrando no clima.

A dupla brasileira que nadará com a touca amarela é tida como uma das favoritas, afinal, conta com dois nadadores que conhecem muito bem as águas de Copacabana e já tiveram a oportunidade de levarem a coroa em edições anteriores. Poliana Okimoto e Allan do Carmo venceram o Desafio com duplas diferentes em 2013 e 2014, respectivamente. Poliana, inclusive, acompanhou hoje os nadadores que disputaram a prova do Super Challenge que teve o percurso de 10 km. A medalhista de bronze no Rio-2016 nadou apenas a primeira volta de 2,5 km do percurso desta prova que foi criada em sua homenagem. Uma forma de retribuir o carinho do público e também já ir se aquecendo para o evento de amanhã.

Nadadores participaram de atividade social - Foto: Satiro Sodré/SSPress

Nadadores participaram de atividade social – Foto: Satiro Sodré/SSPress

Outra dupla que chega muito forte é a americana, afinal, o atual Rei do mar vai cair na água. Chip Peterson triunfou nas águas de Copacabana ano passado ao lado de Christine Jennings e conhece muito bem o percurso que terá pela frente, principamente na corrida de areia onde pode levar vantagem. O campeão pan-americano no Rio-2007 terá como parceira este ano Haley Anderson, que em Londres-2012 foi vice-campeã olímpica. Haley já conhece Copacabana. No Rio-2016 terminou a prova olímpica no quinto lugar e é uma das nadadoras mais experientes no evento que pode ser uma grande vantagem as adversárias.

Os outros dois medalhistas olímpicos chegam bem cotados para levar a coroa, porém, terão como parceiros nadadores promissores e que não estão no mesmo nível. Ontem na definição do grid de largada o atual campeão olímpico Ferry Weertman foi absoluto na água e na areia. O holandês ditou o ritmo durante os 450m de natação e conseguiu fazer uma boa corrida para entregar o bastão a jovem Esmee Vermeuen, que não conseguiu sustentar a liderança. Esta ficou com Rachele Bruni que nadou muito bem rivalizando com Poliana e Haley, mas graças um forte sprint na corrida final conseguiu chegar na frente das adversárias para cravar a pole position. Atual vice-campeã olímpica a italiana é uma das mais aguerridas nadadoras do circuito mundial e muito provavelmente terá que recuperar terreno após seu jovem companheiro Dario Verani, de 21 anos, sair da água.

Os 16 participantes do Rei e Rainha do Mar 2016 - Foto: Satiro Sodré/SSPress

Os 16 participantes do Rei e Rainha do Mar 2016 – Foto: Satiro Sodré/SSPress

As outras quatros duplas também terão seus trunfos para esta prova. O Brasil verde aposta na experiência de seus dois atletas que conhecem como poucos Copacabana: Betina Lorscheitter e Luiz Rogério Arapiraca, já nadaram muitas travessias no local e durante o grid nadaram lado a lado das duplas mais badaladas. O Japão aposta na dupla olímpica Yasunari Hirai e Yumi Kida bastante experiente, a Argetina no veterano e ótimo corredor na areia Guillermo Betola e sua parceira Julia Arino e o Peru vem com Piero Canduelas e Maria Bramont dois jovens que buscam surpreender.

Como já citado acima, o equilibro será intenso e é muito improvável que alguma dupla consiga abrir ampla vantagem durante as seis voltas deixando este Desafio Rei e Rainha do Mar ainda mais emocionante até a linha de chegada.

Por Guilherme Freitas


Pole position italiana
Comentários Comente

swimchannel

Rachele Bruni e Dario Verani serão os poles positions do Desafio Elite Rei e Rainha do Mar 2016. A dupla italiana vai largar na frente neste domingo após ter sido a mais veloz na definição do grid de largada que aconteceu hoje de manhã no Posto 5 da Praia de Copacabana ao concluir o percurso em 9min39s. Os 16 nadadores de elite fizeram o mesmo percurso que farão domingo para definir a ordem de partida e também já ir se ambientando com as condições do local, como calcular o percurso de corrida na areia e ensaiar as trocas de bastão.

Na definição do grid formaram-se dois blocos. No primeiro com cinco duplas Holanda, Brasil amarelo, Brasil verde, Estados Unidos e Itália, tendo o holandês e atual campeão olímpico Ferry Weertman na liderança. O segundo tinha Argentina, Peru e Japão. Curiosamente estes três nadaram apenas de sunga e ficaram para trás. Quando as mulheres caíram na água os dois blocos se mantiveram e valeu o sprint final na areia para definir a pole. A italiana Rachele saiu da água depois que a americana Haley Anderson, mas arrancou na areia para chegar a frente.

Rachele e Dario largaram na frente domingo - Foto: Satiro Sodré/SSPress

Rachele e Dario largaram na frente domingo – Foto: Satiro Sodré/SSPress

A segunda dupla mais rápida foram os americanos, com o atual Rei do Mar Chip Peterson e a medalhista de prata olímpica em Londres-2012, Haley Anderson. A seguir vieram: Brasil amarelo (Poliana Okimoto e Allan do Carmo), Brasil verde (Betina Lorscheitter e Luiz Rogério Arapiraca), Holanda (Esmee Vermeulen e Ferry Weertman), Argentina (Julia Arino e Guillermo Bertola), Japão (Yumi Kida e Yasunari Hirai) e Peru (Maria Bramont e Piero Canduelas).

Antes da definição do grid de largada os nadadores participaram de uma ação social na Praia de Copacabana com membros do Projeto Funk Verde – iniciativa do programa “De Olho no Lixo” que faz música a partir de instrumentos confeccionados com material reciclado. Os atletas tocaram os instrumentos e aprenderam a sambar. Em seguida aconteceu uma coletiva e apresentação dos 16 postulantes a coroa de realiza dos mares a imprensa.

O Desafio Elite do Rei e Rainha do Mar acontece no próximo domingo, a partir das 11h com transmissão ao vivo da TV Globo. No sábado acontecem as provas amadoras com as distâncias de 1 km (Sprint), 2,5 km (Classic), 5 km (Challenge) e 10 km (Super Challenge), além dos eventos de outras modalidades como stand-up paddle, beach run, beach biathlon e as versões kids. E nesta sexta, Poliana Okimoto estará na SWIM CHANNEL Store no Arena Leme Hotel, na Avenida Atlântica, 324, Leme, conversando com os fãs e prestigiando o lançamento da nova edição da Swim Channel.

Por Guilherme Freitas


SWIM CHANNEL lança edição #27
Comentários Comente

swimchannel

 

Capa da edição 27 da Swim Channel

Capa da edição 27 da Swim Channel

A SWIM CHANNEL vem passando por momento de crescimento e investindo em igualmente em todos os seus canais: revista impressa, blog, mídia indoor, rádio, webtv e eventos. Por isso, a revista impressa tem total liberdade para seguir novos rumos. A partir desta edição#27 apresentamos a nossos leitores um novo projeto editorial. Trata-se do conceito “revista-livro“, que tem como objetivo trabalhar com conteúdo atemporal e explorar ao máximo um tema específico. E o assunto desta edição será Poliana Okimoto. Contamos através de oito histórias, escritos por oitos jornalistas e especialistas, sobre a primeira nadadora brasileira medalhista olímpica.

E nesta sexta, dia 9 dezembro, Poliana Okimoto estará na store da Swim Channel no Arena Leme Hotel, no Rio de Janeiro, durante a retirada de kits do Desafio Rei e Rainha do Mar prestigiando o lançamento da revista e conversando com nossos leitores. A capa da edição #27 é assinada pelo nosso diretor de arte, Klaus Bernhoeft e a imagem é de autoria de Satiro Sodré, da SSPress.

Todas as revistas já estão sendo distribuídas aos assinantes e as vendas avulsas da edição podem ser feitas aqui no nosso site. Clique aqui e adquira a sua!

Por Guilherme Freitas


Poliana e Allan buscam bicampeonato no Rei e Rainha do Mar
Comentários Comente

swimchannel

No próximo domingo acontece mais uma edição do Desafio Elite do Rei e Rainha do Mar. Serão 16 nadadores divididos em oito duplas, representando sete países, disputando a coroa da realeza nas águas do posto 5 de Copacabana. Assim como nas últimas edições os atletas precisarão completar seis voltas de de 500 metros, sendo 450m na água e 50m de corrida na areia, divididas em três voltas para cada um. Os homens abrirão o desafio e as mulheres terão a responsabilidade de fechá-lo. Entre os participantes estão nomes de peso que já foram medalhistas olímpicos e mundiais e jovens promessas da natação internacional.

Uma das duplas brasileiras que nadará com a touca amarela luta pelo bicampeonato pessoal no Rei e Rainha do Mar. Poliana Okimoto e Allan do Carmo buscam nas águas de Copacabana colocar pela segunda vez a coroa de campeões. Poliana venceu o Desafio em 2013, ano onde foi eleita a melhor nadadora do mundo, quando nadou ao lado de Samuel de Bona. Já Allan conquistou a coroa em 2014, quando também foi eleito pela Fina o melhor do mundo, nadando junto com Ana Marcela Cunha. Os dois formaram uma das duplas brasileiras no ano passado, quando terminaram o desafio na quinta colocação. Companheiros de seleção brasileira há dez anos, eles se conhecem bem e sentem-se em casa nas águas de Copacabana, o que faz desta uma das duplas favoritas a vitória. Lembrando que em agosto Poliana foi medalhista de bronze olímpica na mesma Praia de Copacabana.

Poliana e Allan buscam recuperar a coroa - Foto: Reprodução

Poliana e Allan buscam recuperar a coroa – Foto: Reprodução

Outra dupla que chega forte e com boas chances é a americana, afinal também conta com uma realeza dos mares. Chip Peterson venceu a edição do ano passado nadando ao lado de Christine Jenning se retorna ao Rio de Janeiro este ano para nadar com a vice-campeã olímpica em Londres-2012, Haley Anderson. E por falar em medalhista olímpico, outros dois disputam o desafio ao lado de jovens promessas. O holandês Ferry Weertman, campeão da maratona masculina no Rio-2016, tem como parceria Esmee Vermeulen de 20 anos. E a italiana Rachele Bruni, vice-campeã em Copacabana, nada ao lado de Dario Verani de 21 anos.

Completam a competição a dupla brasileira de touca verde formada por Luiz Rogério Arapiraca e Betina Lorscheitter, os japoneses Yumi Kida e Yasunari Hirai, os argentinos Julia Arino e Guillermo Bertola e os peruanos Maria Bramont e Piero Canduelas. O Desafio elite terá transmissão ao vivo da TV Globo no domingo, a partir das 11h. Nesta quinta e sexta-feira a SWIM CHANNEL também terá uma store no Arena Leme Hotel, local da retirada dos kits, comercializando produtos da Mormaii. O endereço do hotel é na Avenida Atlântica, 324, Leme, Rio de Janeiro.

Por Guilherme Freitas


Quatro medalhistas olímpicos em Copacabana
Comentários Comente

swimchannel

Foram divulgadas as duplas da edição 2016 do Desafio Elite do Rei e Rainha do Mar, que acontecerá no domingo dia 11 de dezembro, no Posto 5 da Praia de Copacabana, no Rio de Janeiro. A competição, que acontece anualmente, será disputada no formato de duplas, cada atleta terá que concluir três voltas de 500m, 450m de natação e 50m de corrida para a troca de bastão, totalizando seis voltas. Os homens abrem a disputa e as mulheres encerram. Copacabana também se reencontrará com três nadadores que se consagraram e ganharam medalhas nas águas da praia em agosto durante os Jogos Olímpicos do Rio-2016.

Primeira nadadora brasileira a subir ao pódio olímpico, Poliana Okimoto será uma das medalhistas olímpicas em ação. Medalha de bronze no Rio-2016, ela repete a parceria do ano passado com Allan do Carmo que em 2015 terminou em quinto lugar. A nadadora também foi homenageada pela organização do Rei e Rainha do Mar, que lançou a prova de super challenge com a distância de 10 km justamente para honrar Poliana. Além deles o Brasil terá uma segunda dupla formada por Betina Lorscheiter e Luis Rogério Arapiraca.

Allan e Poliana serão uma das duplas do Brasil - Foto: Reprodução

Allan e Poliana serão uma das duplas do Brasil – Foto: Reprodução

Além da presença de Poliana outra grande atração será Ferry Weertman, campeão olímpico da prova no Rio-2016. Em agosto durante os Jogos o holandês fez uma prova extremante estratégica para crescer no final e conquistar a medalha de ouro em sua primeira prova nas águas de Copacabana. Sua parceira será a jovem Esmee Vermeuten, de apenas 20 anos, que esteve na Olimpíada para integrar o time holandês na prova do revezamento 4x200m livre em piscina.

Outra medalhista que estará em ação na Praia de Copacabana será Rachele Bruni, vice-campeã no Rio-2016. A italiana foi uma das protagonistas da polêmica chegada da prova olímpica, quando foi afundada por Aurélie Müller no pórtico de chegada que culminou com a desclassificação da francesa. O nadador Dario Verani será seu parceiro.

O  campeão olímpico Ferry Weertman – Foto: Gregory Bull

O campeão olímpico Ferry Weertman – Foto: Gregory Bull

Além do trio medalhista em Copacabana outra medalhista olímpica estará em ação: a americana Haley Anderson , prata nos Jogos de Londres-2012 e que fará uma das duplas mais fortes deste Desafio Rei e  Rainha do Mar ao lado de Chip Peterson, campeão do desafio no ano passado.

Completam ainda a edição 2016 as equipes do Japão, com os olímpicos Yumi Kida e Yasunari Hirai, a Argentina com Julia Arino e Guillermo Bertola e o Peru que terá Maria Alejandra Bramont e Piero Canduelas. A largada do Desafio deste ano tem previsão para as 11h da manhã e contará com transmissão ao vivo da TV Globo.

Por Guilherme Freitas


Poliana nada em Hong Kong com chances de título
Comentários Comente

swimchannel

A temporada 2016 da Copa do Mundo de águas abertas da Fina chega ao fim logo mais com a disputa da prova de 10 km em Hong Kong. Ao todo serão 72 atletas, 41 no masculino e 31 no feminino, caindo nas águas da Repulse Bay para descobrimos quem serão os dois campeões do circuito. Quatro atletas estão na briga pelo título e pelo prêmio de US$ 30 mil oferecido aos vencedores.

No feminino a italiana Rachele Bruni, atual vice-campeã olímpica, lidera o ranking 2016 com 66 pontos e é a grande favorita para levar a taça de campeã. Se confirmar esse favoritismo conquistará a competição pelo segundo ano seguido. Porém, ela terá uma adversária duríssima: Poliana Okimoto. Campeão em 2009, a brasileira chega a Hong Kong com uma desvantagem de oito pontos, mas ainda tem chances de sair da Ásia com o título. Para que isso aconteça Poliana precisa chegar no mínimo em sexto lugar e torcer para que a italiana faça uma prova muito ruim.

Poliana Okimoto tem chances de título em Hong Kong - Foto: Satiro Sodre/SSPress

Poliana Okimoto tem chances de título em Hong Kong – Foto: Satiro Sodre/SSPress

“Gosto muito de nadar essa etapa de Hong Kong, já fui várias vezes campeã dela. Desta vez, estou adaptada com o fuso e o clima. Vamos lutas para fazer uma boa prova e tirar essa diferença, oito pontos é complicado, mas vamos dar o nosso melhor”, conta a nadadora que teve um 2016 inesquecível com a conquista da medalha de bronze nos Jogos Olímpicos do Rio-2016. Na Copa do Mundo até agora ela já conquistou dois pódios.

A prova feminina ainda terá outra brasileira: Ana Marcela Cunha. Após o desempenho abaixo das expectativas no Rio-2016 quando ficou apenas décima colocação, a nadadora pretende iniciar uma volta por cima visando os Jogos Olímpicos de Tóquio-2020. Por isso, ir bem em Hong Kong será essencial para essa recuperação de Ana Marcela, que já venceu três vezes a Copa do Mundo (2010, 2012 e 2014) e não tem mais chances de levar a taça este ano.

Allan do Carmo tenta ir novamente ao pódio na Copa do Mundo – Foto: Satiro Sodre/SSPress

Allan do Carmo tenta ir novamente ao pódio na Copa do Mundo – Foto: Satiro Sodre/SSPress

Na prova masculina a disputa do título será entre Andreas Waschburger e Simone Ruffini. O alemão é o líder da temporada com 80 pontos e vê o italiano se aproximar. Na etapa passada em Chun’An Ruffini venceu e diminuiu a distância para apenas seis pontos. Ambos estarão em ação na Repulse Bay e com certeza farão uma prova bastante estratégica. O Brasil terá a participação de Allan do Carmo. Na última etapa ele ficou com a medalha de bronze e novamente esta cotado para subir ao pódio da Copa do Mundo.

A prova de 10 km de Hong Kong acontece nesta sexta-feira a partir das 20h, horário de Brasília. Para acompanhar ao vivo a prova acesse o site da Fina clicando aqui.

Por Guilherme Freitas


Swim Channel TV: Ricardo Cintra revela detalhes da conquista de Poliana
Comentários Comente

swimchannel

A Swim Channel TV falou com Ricardo Cintra, técnico e marido de Poliana Okimoto. Na entrevista ele conta sobre sua relação com a esposa e atleta, a estratégia para a conquista da medalha de bronze olímpica e os planos para o futuro visando Tóquio-2020. Confira aqui o bate-bapo com Patrick Winkler, editor-chefe da SWIM CHANNEL. Assista ao vídeo abaixo e assine nosso canal no Youtube!

 

 

A equipe Swim Channel na cobertura dos Jogos Rio 2016 é patrocinada pela Mormaii, a maior marca de esportes aquáticos do Brasil