Swim Channel

Nadadores receberão homenagem em Copacabana
Comentários Comente

swimchannel

Amanhã será um dia especial para a natação em águas abertas na Praia de Copacabana. A partir das 9h o Posto 6 será palco de uma homenagem do Leme to Pontal Swimming Association (LPSA) aos quatro atletas que já conseguiram concluir essa travessia de 35 km nas águas do Rio de Janeiro: Luiz Lima, Adherbal Oliveira, Paulo Amaral e Patrícia Farias.

O trio de nadadores Paulo, Patrícia e Adherbal – Foto: Reprodução

O trio de nadadores Paulo, Patrícia e Adherbal – Foto: Reprodução

O quarteto irá receber um certificado e um troféu como reconhecimento do feito, honraria semelhante que os futuros nadadores que concluírem a travessia ganharão. Luiz Lima, colunista da SWIM CHANNEL, foi o grande pioneiro ao nadar entre as duas praias em 2008, completando a prova naquele que ainda permanece como recorde até hoje: 8h25min. Adherbal de Oliveira foi o segundo a concluir o percurso no ano de 2015, seguido por Paulo Amaral e Patrícia de Farias neste ano.

O Leme to Pontal Swimming Association tem como principal função promover e organizar essas travessias individuais ou em revezamento, premiar os atletas que obtiverem este feito e cuidar da parte burocrática como providenciar as embarcações que acompanham os nadadores durante o percurso. O LPSA tem como presidente o técnico Renato Ribeiro e como secretário Adherbal de Oliveira.

Luiz Lima foi o primeiro a relizar esta travessia – Foto: Satiro Sodré/SSPress

Luiz Lima foi o primeiro a relizar esta travessia – Foto: Satiro Sodré/SSPress

A homenagem acontecerá próximo a tenda dos Gladiadores e contará também com a presença de Bruno Ramos, candidato a vereador no Rio de Janeiro que já foi sub-prefeito, além de entusiasta e apoiador dos esportes e trabalhos de assessorias nas praias do Rio. Para mais detalhes e informações acessem a página oficial do LPSA, clicando aqui.

Por Guilherme Freitas


Swim Channel TV: Bruno Fratus e o retorno da Arena ao Brasil
Comentários Comente

swimchannel

Conversamos com Bruno Fratus, finalista olímpico no Rio-2016 e que venceu com o time brasileiro o Desafio Raia Rápida. Principal atleta brasileiro patrocinado pela Arena, ele comentou sobre os planos para o futuro e também sobre o retorno da marca ao Brasil.  Confira o bate-papo do velocista com Patrick Winkler, editor-chefe da SWIM CHANNEL. Assista ao vídeo abaixo e assine nosso canal no Youtube!

 


Samir supera recorde sul-americano no Canal de Catalina
Comentários Comente

swimchannel

O experiente nadador de águas abertas Samir Barel adicionou mais uma conquista ao seu currículo após concluir com sucesso nesta quinta-feira a Travessia do Canal de Catalina, uma das mais difíceis e arriscadas do mundo. O atleta partiu ontem a noite as 23h locais (3h da manhã no horário de Brasília) da Ilha de Santa Catalina rumo a costa do estado americano da Califórnia. Foram 36 km nadados nas águas geladas do Canal, boa parte delas durante a escuridão da noite.

Tudo correu bem durante a prova e ele concluiu o percurso em 8h35min40s, superando o recorde sul-americano que pertencia a Adherbal de Oliveira que este ano havia nadado em 9h10min29s.

Samir fez simulações noturnas visando a prova – Foto: Matheus Meireles

Samir completou a Tríplice Coroa de Águas Abertas – Foto: Matheus Meireles

“Tudo perfeito! Nadei bem, as condições estavam muito boas, o mar liso. Nos últimos 5 km peguei uma corrente, mas isso é normal naquele trecho, já era esperado. A equipe técnica foi excelente, o Damian Blaun fez um pacing para mim na última hora para dar ritmo, a Esther estava no barco sempre me orientando”, revela Samir que juntou-se a Adherbal e Dailza Ribeiro como os únicos brasileiros a atravessarem o Canal.

Com essa conquista, o nadador torna-se o primeiro brasileiro a conquistar a Tríplice Coroa de Águas Abertas que são as provas da Travessia do Canal da Mancha. Volta da Ilha de Manhattan e Travessia do Canal de Catalina. Samir tem como objetivo realizar a principais travessias do mundo e agora após um merecido descanso pelo êxito desta prova já começa a pensar nos próximos desafios.

Assista abaixo um vídeo do momento da chegada de Samir Barel a costa dos Estados Unidos:

Por Guilherme Freitas


Rei e Rainha do Mar chega ao Recreio
Comentários Comente

swimchannel

A Pedra do Pontal é um dos pontos mais conhecidos e bonitos do Recreio dos Bandeirantes. Esta enorme rocha separa as praias do Recreio e da Macumba e é muito procurado pelos turistas onde é possível escalar e admirar as belezas da zona oeste carioca. Será lá que vai acontecer a próxima etapa do Rei e Rainha do Mar nos dias 8 e 9 de outubro. Pela primeira vez o circuito será disputado na região do Recreio e trará algumas novidades para os cerca de 4 mil atletas inscritos.

A etapa da Pedra do Pontal marca a estreia das crianças no Rei e Rainha do Mar em provas no Rio de Janeiro com a versão kids da natação em águas abertas e do beach run. Sucesso nas etapas de Ubatuba e Salvador, as provas de águas abertas terão três distâncias: 100m (8 e 9 anos), 200m (10 e 11 anos) e 400m (12 e 13 anos). No beach run os pequenos vão correr entre 100m e 800m nas areias da Praia do Recreio.

A Pedra do Pontal separa as praias do Recreio e da Macumba – Foto: Reprodução

A Pedra do Pontal separa as praias do Recreio e da Macumba – Foto: Reprodução

Novamente teremos três provas de águas abertas nesta etapa. O Sprint terá 1 km de percurso e o Classic 2 km, ambos sendo disputados nas águas da Praia da Macumba. A grande atração será sem dúvida o Challenge com seus tradicionais 4 km de percurso. Nesta etapa os nadadores fazem um trajeto diferente explorando as belezas da região, partindo da Praia do Recreio, contornando a nado a Pedra do Pontal e chegando na Praia da Macumba.

O Rei e Rainha do Mar ainda terá a realização do Beach Biathlon (1 km de natação e 2 km de corrida na areia) e do Beach Run (com duas provas de corrida na areia, uma de 4 km e outra 8 km), ambos no sábado dia 8 de outubro. No dia seguinte acontecerão as três provas de Stand-up Paddle com distâncias de 2 km, 4 km e 8 km e o Rio Triathlon, que será uma novidade.

Rei do Mar acontecerá pela primeira vez no Recreio - Foto: Organização do evento

Rei do Mar acontecerá pela primeira vez no Recreio – Foto: Organização do evento

As provas de triatlo serão realizadas simultaneamente com o Rei e Rainha do Mar. Um dos maiores eventos da modalidade no país, o Rio Triathlon terá na Pedra do Pontal a última etapa do circuito carioca com provas de Sprint (750m de natação, 20 km de ciclismo e 5 km de corrida) e Standard (1,5 km de natação, 40 km de ciclismo e 10 km de corrida).

As inscrições para a etapa da Pedra do Pontal do Rei e Rainha do Mar estarão disponíveis até o dia 3 de outubro. Para se inscrever basta clicar aqui.

Por Guilherme Freitas


Florent Manaudou deixa a natação para jogar handball
Comentários Comente

swimchannel

Uma bomba caiu no mundo da natação esta semana com o anuncio que Florent Manaudou fez ao dizer que dará uma pausa na natação competitiva para se dedicar a uma de suas grandes paixões: o handball. O francês já havia revelado que tinha como objetivo atuar profissionalmente nesta modalidade e contamos isso aqui na SWIM CHANNEL. Apaixonado pelo esporte de quadra, que praticou por dez anos, o gigante francês já esta treinando com a equipe do Aix en Provence. Já assistimos na história alguns nadadores trocarem de modalidade, porém, o mais comum é deixar a natação para se dedicar a outros esportes aquáticos como o pólo aquático ou o nado sincronizado.

Recentemente podemos nos lembrar de Michael Phelps. Ao deixar as piscinas depois de se consagrar em Londres-2012 ele tinha entre suas atividades pós-natação o hobby de jogar golfe. Ele disputou competições amadoras e até cogitou atuar profissionalmente, mas após um tempo resolveu voltar a nadar. Outro caso que deve acontecer em breve é do americano Tyler Clary. Campeão olímpico em Londres-2012, o americano já revelou que pretende se dedicar futuramente ao automobilismo e chegar a Nascar, seu sonho de infância.

Manaudou é apaixonado por handball - Foto: Reprodução

Manaudou é apaixonado por handball – Foto: Reprodução

Na natação o cinema é uma atividade que costuma atrair nadadores. O americano Johnny Weissmuller tem feitos incríveis nas piscinas. Foi bicampeão olímpico dos 100m livre e primeiro homem a nadar a distância abaixo do minuto, além de ter sido jogador de pólo aquático. Porém, é conhecido popularmente pelo público leigo como o Tarzã do cinema. Já o italiano Carlo Pedersoli também teve uma bela carreira na piscina disputando duas Olimpíadas, mas se eternizou mesmo como Bud Spencer, e fez sucesso no cinema italiano e em Hollywood . No Brasil tivemos o caso de Rômulo Arantes, que após deixar a natação se tornou um ator de sucesso nas novelas da TV Globo até falecer em um acidente aéreo.

Mudar radicalmente de uma modalidade para outra totalmente diferente não é novidade no universo esportivo. O exemplo mais famoso aconteceu com Michael Jordan. Maior jogador da história do basquete, o americano deu um tempo nas quadras para se dedicar ao baseball. Alegando estar desmotivado do basquete e para realizar o sonho do pai, que havia sido assassinado nesta época e sempre sonhou em ver o filho com um taco na mão, ele atuou por um ano e meio em equipes das ligas menores de baseball e após uma passagem frustrante resolveu retornar as quadras para se eternizar. O atletismo reúne muitas história de troca drásticas como Marion Jones que atuou no basquete americano, Jean Galfione que virou iatista e Lolo Jones que passou a correr de bobsled. E Jason Statham um dos atores mais famosos atualmente foi atleta de saltos ornamentais tendo disputado eventos internacionais.

Phelps quase seguiu carreira profissional no golfe – Foto: Reprodução

Phelps quase seguiu carreira profissional no golfe – Foto: Reprodução

Manaudou não mencionou a palavra aposentadoria em sua carta publicada em seu perfil do Facebook, apenas disse que dará um tempo. Ou seja, existe a possibilidade de vermos novamente o gigante francês nas piscinas. Citando os regressos vitoriosos de Anthony Ervin e Michael Phelps após breves paradas em suas carreiras, Manaudou pode quem sabe se inspirar nos dois campeões olímpicos para retornar um dia as piscinas. Porém, tudo vai depender do sucesso de sua nova carreira no handball.

Por Guilherme Freitas


Samir Barel encara o Canal de Catalina
Comentários Comente

swimchannel

O sonho de completar as principais provas de águas de abertas do mundo ganha um novo capítulo a partir de amanhã a noite para Samir Barel. Após atravessar a nado o Canal da Mancha, a Volta a Ilha de Manhattan e a Travessia Hernandarias-Paraná, o experiente nadador de águas abertas inicia amanhã seu mais novo desafio: a Travessia do Canal de Catalina, estreito de água que separa a Ilha de Catalina da costa oeste dos Estados Unidos que tem cerca de 36 km de percurso.

A prova é uma das mais difíceis e exigentes do mundo. Afinal até hoje foram poucos os atletas que conseguiram registrar esse feito, entre eles dois brasileiros: Dailza dos Santos em 1993 e Adherbal Oliveira que atravessou o Canal em julho deste ano. A Travessia do Canal de Catalina conta com muitas particularidades. Uma delas é a recomendação de iniciar a prova a noite devido a presença de tubarões e muitos peixes na região. Como na escuridão noturna o nadador não atrairá tanta atenção da vida marinha, esse período é o mais indicado para fazer a travessia. Porém, aparecem outras dificuldades como a água gelada, as fortes correntes e a falta de visibilidade.

Samir fez simulações noturnas visando a prova – Foto: Matheus Meireles

Samir fez simulações noturnas visando a prova – Foto: Matheus Meireles

Samir sabe que esta não é uma travessia comum e vem se preparando a meses para conseguir concluir este objetivo. “Nadar a noite em mar aberto será uma experiência bem diferente e isto é um fator que me atrai nessa prova, algo que as outras que já realizei não tem. Minha preocupação será acertar muito bem a hidratação para não ter enjoos. Também fiz quatro treinos específicos simulando a natação em período noturno, conta o nadador que também procurou ouvir a experiência de Adherbal para encarar este nova desafio. “Conversei com ele e pude tirar algumas duvidas e receios que tinha. Assim, me sinto muito preparado”, finaliza.

Além de encarar esta travessia como uma grande missão e paixão pelo esporte, Samir também pensa no bem da sociedade e tem dois objetivos que o motivam a realizar estas grandes provas em águas abertas. “Primeiro objetivos é promover e divulgar a maratona aquática em todo o Brasil, uma modalidade possui uma série de benefícios, tais como incentivar o turismo e o contato direto com outras culturas e, claro, com a natureza. E o segundo, é mostrar para as pessoas que Todos Somos Capazes, um lema que carrego comigo, superar obstáculos inimagináveis e estimular qualquer pessoa a superar seus desafios particulares”.

Samir pretende concluir grandes desafios ao longo da carreira – Foto: Flávio Perez/OnboardSports

Samir pretende concluir grandes desafios ao longo da carreira – Foto: Flávio Perez/OnboardSports

Samir começa a nadar a Travessia do Canal de Catalina a partir das 23h desta quarta-feira (3h da manhã no horário de Brasília) e chegará ao seu destino na manhã de quinta-feira. O longo trajeto entre a Ilha de Catalina e acosta californiana costuma ser atravessado em média de 9 e 10 horas.

Por Guilherme Freitas


Brasil: tricampeão do Desafio Raia Rápida
Comentários Comente

swimchannel

Uma experiência única! Era esta a chamada do Raia Rápida 2016 e de fato, a quinta edição do evento foi sensacional! Disputado na piscina do Olympic Aquatic Stadium o evento foi inesquecível para o público, que além de assistir grandes nomes da natação internacional também pode cair na água. O Festival Raia Rápida, que começou as 7h, reuniu centenas de atletas amadores de variadas idades e níveis técnicos que não desanimaram com o tempo fechado e chuvoso na cidade do Rio de Janeiro. Após três horas de muita atividade na piscina, veio o grande momento: o Desafio Elite com a presença de 16 nadadores.

Não há segredo para competir no Raia Rápida. É preciso nadar rápido sempre. O formato da competição é bem simples: a cada bateria, o atleta mais lento é eliminado até sobrarem os dois mais rápidos que duelam entre si pela vitória. Eles vão somando um ponto cada vez que avançam e ao fim das baterias individuais ocorre a prova do revezamento 4x50m medley com pontuação dobrada e que definirá o campeão do evento.

Brasil tricampeão - Foto: Satiro Sodré/SSPress/Effect Sport

Brasil tricampeão – Foto: Satiro Sodré/SSPress/Effect Sport

Este ano o Brasil montou uma equipe bem equilibrada e experiente: Henrique Rodrigues (costas), João Luiz Gomes Jr (peito), Henrique Martins (borboleta) e Bruno Fratus (livre). Todos atletas olímpicos no Rio-2016 e com medalhas em grandes eventos internacionais. A mescla deu resultado e o Brasil venceu o 4x50m medley sem muitas dificuldades e chegando bem a frente dos demais rivais com 1min38s43.

João e Henrique ainda foram os campeões em seus respectivos nados. Finalista olímpico no Rio-2016, João superou na final dos 50m peito o sul-africano Giulio Zorzi com um bom resultado: 27s09, estabelecendo um novo recorde da competição. Na prova do borboleta aconteceu o duelo de dois campeões mundiais universitários, com Henrique levando a melhor sobre o americano Tim Phillips. No nado costas o sul-africano Gerhard Zandberg celebrou sua segunda vitória no Raia Rápida, superando o italiano Simone Sabbioni na final. Especialista no nado medley, Henrique Rodrigues acabou parando na terceira bateria.

Os campeões individuais do Raia Rápida - Foto: Satiro Sodré/SSPress/Effect Sport

Os campeões individuais do Raia Rápida – Foto: Satiro Sodré/SSPress/Effect Sport

Porém, o duelo mais esperado era no nado livre. De um lado Anthony Ervin, o atual campeão olímpico nesta mesma piscina no mês passado. Do outro lado Bruno Fratus, medalhista de bronze no último Campeonato Mundial em Kazan-2015 e nadador mais festejado pela torcida brasileira. Os dois forçaram bastante e Ervin levou a melhor. No fim, vitória brasileira com 15 pontos contra 11 da África do Sul que conquista sua melhor participação no evento. Os Estados Unidos terminaram em terceiro lugar com sete pontos seguidos pela Itália que fez apenas três.

Foi o terceiro título consecutivo do time brasileiro no Desafio Raia Rápida e sem dúvidas a mais especial, afinal, foi conquistada na piscina dos últimos Jogos Olímpicos, mesmo palco onde o Brasil passou em branco e ficou sem medalhas. Dessa vez a torcida pode comemorar e gritar tricampeão!

Por Guilherme Freitas


Dissecando o Raia Rápida
Comentários Comente

swimchannel

Raia 7 para Bruno Fratus. No centro, na raia líder, o postulante ao bicampeonato, absoluto no último ciclo olímpico. Na disputa também o americano Nathan Adrian, entre outros grandes nomes. Mas o que poucos talvez esperavam era que, da raia 3, aos 35 anos, o ouro olímpico viesse com o campeão de 16 anos atrás, lá em Sidney. Antohony Ervin, o veterano, venceu a prova mais rápida da piscina no Rio-2016, e, ávido por desafios, aceitou mais um pouco mais de um mês depois: o Desafio Piraquê Raia Rápida.

Integrando a equipe norte-americana, uma das favoritas pela sua composição, ele reedita o duelo com o brasileiro Fratus neste domingo, no mesmo palco: o Estádio Aquático Olímpico. Os 16 atletas terão apenas uma hora para nadar até quatro vezes em busca das premiações que chegam a 100 mil reais no total.

Anthony Ervin em treino no Botafogo (foto: Satiro Sodré)

Anthony Ervin em treino no Botafogo (foto: Satiro Sodré)

África do Sul, Itália, Brasil e Estados Unidos são os países com quatro representantes cada, um para cada estilo.

O duelo que realmente mais atrai atenções é o 50m livre, que além de contar com o atual campeão olímpico e com o brasileiro, medalhista mundial da prova em Kazan-2015, tem a presença de Mirco Di Tora pelo time italiano, veterano de 30 anos e premiado com pódios europeus, e Douglas Erasmus, forte na África do Sul e menos conhecido no cenário mundial. Difícil imaginar que a “final”, que os dois restantes após três desafios, não conte com os dois finalistas olímpicos. Só para esquentar: Ervin completou o trajeto no Rio em 21s40, contra 21s79 de Fratus.

Fratus é o brasileiro na disputa do 50m livre - Foto: Satiro Sodré

Fratus é o brasileiro na disputa do 50m livre – Foto: Satiro Sodré

Mas a presença de olímpicos não fica apenas no livre. Inclusive, uma outra estrela mundial cairá na piscina que não teve a oportunidade de conhecer em agosto: Roland Schoemanm, 36 anos, campeão olímpico, mundial, e coleções de pódios internacionais na carreira. O sul-africano é especialista em livre, mas também em borboleta. Travará uma batalha pela vitória na prova contra Henrique Martins, que disputou o 100m borboleta e o revezamento medley do Brasil no Rio. Embora já seja um grande veterano, Schoemanm impõe gigante respeito nos adversários. Porém, pelo formato da disputa, rápida e de exigência de recuperação dinâmica, pode precisar de um fôlego extra contra os jovens Henrique (24 anos), Daniele D’Angelo (21) e Tim Phillips (25).

No estilo de peito, João Gomes Jr. Também experiente da seleção brasileira, e muito veloz, é favorito pra vencer no tiro curto. Pelos EUA, Mike Alexandrov é o rival, que não tem resultados expressivos desde 2010, Fabio Scozzoli, medalhista mundial do estilo em Xangai-2011, e Giulio Zorzi, bronze em Barcelons-2013.

João Luiz Júnior

João Luiz Júnior

A prova do costas tem um favorito: Eugene Godsoe, americano que vê o Raia Rápida como seu evento ideal: velocidade pura! É multi-medalhista internacional de provas nos estilos costas e borboleta, experiente e consistente. Um dos rivais de fôlego é o italiano Simoni Sabbioni, de apenas 19 anos e campeão olímpico da juventude nos 100m costas. Resta saber se terá explosão. O brasileiro é Henrique Rodrigues, nadador de medley e não necessariamente veloz ou especialista em costas, mas tem resistência para aguentar a curta maratona, com o sul-africano Gerhard Zandberg fechando a disputa.

Diante dos atletas apresentados, o Brasil tem boas chances de somar mais pontos (o método de disputa premia o vencedor de cada estilo com três pontos, dois para o vice e um para o terceiro lugar, com o revezamento para encerrar, valendo o dobro por posição), mas o páreo duro é contra os Estados Unidos. A África do Sul deve garantir alguns bons pontos, e a Itália vai precisar se superar – e contar com o fôlego de sua juventude, para tentar bater as equipes com mais atletas premiados e experientes no Desafio Piraquê Raia Rápida. Um evento que, como o nome diz, mal dá tempo de respirar. E, até por isso, eletrizante!

Por Mayra Siqueira


Quem é Roland Schoeman?
Comentários Comente

swimchannel

Uma das grandes atrações desta edição do Desafio Raia Rápida é Roland Schoeman. Nascido em Pretória no dia 3 de julho de 1980, ele nadou começou a nadar aos 13 anos e não parou mais. Aos 20 anos fez sua estreia olímpica em Sydney-2000, seu primeiro grande evento internacional, e parou nas semifinais nos 50m e 100m livre. No ciclo olímpico de Atenas ganhou suas primeiras medalhas de expressão como o bronze nos no Mundial de Fukuoka-2001 e o título do Commonwealth Games de Manchester-2002 nos 50m livre.

Seu ápice aconteceu nos Jogos Olímpicos de Atenas-2004. Na competição, o sul-africano subiu três vezes ao pódio. Começou sua campanha integrando o surpreendente revezamento 4x100m livre do país que bateu os favoritos Estados Unidos, Holanda e Austrália. Dias depois foi prata nos 100m livre e bronze nos 50m livre. Na volta ao país foi recepcionado pelo ex-presidente Nelson Mandela e ganhou uma homenagem da Universidade de Pretória. No ano seguinte Schoeman venceu os 50m livre e 50m borboleta no Mundial de Montreal e repetiu o título nos 50m borboleta em Melbourne-2007.

Roland Schoeman nada seu terceiro Raia Rápida – Foto: Satiro Sodre/SSPress

Roland Schoeman nada seu terceiro Raia Rápida – Foto: Satiro Sodre/SSPress

Mesmo com a aparição de uma jovem geração de velocistas como Cesar Cielo e Florent Manaudou, o sul-africano ainda conseguiu ter bons resultados como chegar as finais olímpicas em Pequim-2008 e Londres-2012 e quando bateu os recordes mundiais nos 50m borboleta na piscina longa e nos 50m livre na curta, ambos em 2009.

Aos 36 anos de idade o veterano disputará sua terceira edição do Desafio Raia Rápida. Em 2014 ele foi vice-campeão nos 50m livre perdendo a final para Anthony Ervin. No ano seguinte o velocista terminou em terceiro lugar nos 50m borboleta, prova que ele volta a nadar este ano e encara Henrique Martins, Tim Phillips e Daniele D’Angelo. Se Schoeman não pode cair na piscina do Olympic Aquatic Stadium durante o Rio-2016, veio aos Jogos como técnico de George Bovell, desta vez ele dará suas braçadas para quem sabe bater na frente e vencer pela primeira vez no Raia Rápida.

O Desafio Raia Rápida acontece no domingo, dia 25 e terá transmissão ao vivo da TV Globo a partir das 10h. Aproveite e baixe aqui o guia completo da edição 2016 do Raia Rápida.

Por Guilherme Freitas


São Sebastião abre Circuito Mares 2016/17
Comentários Comente

swimchannel

No próximo domingo a Praia de Toque Toque, em São Sebastião, dá início a nova temporada do Circuito Mares 2016/17. A competição organizada pela empresa Interativa Assessoria Esportiva, une esporte com natureza através de uma ação esportiva dentro d´água, proporcionando aos participantes atividades do conceito no ecoturismo. Novamente serão quatro etapas no litoral paulista e mais uma especial de encerramento em local ainda a ser definido.

Nesta primeira etapa haverá eventos de natação em águas abertas e aquathlon. Na natação teremos quatro provas para diferentes níveis de atletas. São elas: start (500m), short (1 km), marathon (2,5 km) e challenge (7,5 km) e cada nadador poderá nadar até duas provas durante cada etapa do circuito.

Ilhabela vai receber a última etapa do Circuito Mares - Foto: Organização do evento

Nadador durante etapa do Circuito Mares – Foto: Organização do evento

A prova de aquathlon completará as atividades na Praia de Toque-Toque. Serão ao todo 6 km de percurso, sendo 1 km nadado e mais 5 km de corrida. Nesta modalidade os atletas podem competir individualmente ou por equipe. A ordem de disputas do evento em São Sebastião será a seguinte:  challenge, marathon, aquathlon, short e start a partir das 7h30 da manhã. O Condomínio Porto Paúba – Residenciais & Flats será o parceiro de hospedagem oficial da competição.

As demais etapas do Circuito Mares 2016/17 acontecerão em Caraguatatuba (dia 4 de dezembro de 2016), Ilhabela (dia 5 de março de 2017) e Ubatuba (dia 21 de maio de 2017). No dia 17 de junho do ano que vem teremos a etapa de premiação, com a coroação dos melhores atletas do circuito e uma prova especial de 10 km de distância em local ainda a ser definido pela organização. Para mais detalhes acesse o site oficial do evento clicando aqui.

Por Guilherme Freitas