Swim Channel

Clínica ASCA no Brasil terá técnico americano renomado
Comentários Comente

swimchannel

Técnicos e professores, reservem aí em suas agendas os dias 11 a 14 de novembro. Acontecem nestas datas a 3ª edição da Clínica ASCA no Brasil, no auditório de Furnas no Rio de Janeiro. O evento tem como objetivo promover capacitação internacional da ASCA no Brasil e propiciar intercâmbio de informações técnicas. Organizado pelo renomado nadador e técnico Djan Madruga, este ano teremos palestras e aulas para os participantes e mais uma vez um convidado internacional de grande referência vem ao Brasil.

Este ano o palestrante estrangeiro será o atual Diretor Executivo da ASCA em Fort Lauderdale, John Leonard que ministrará os níveis 2 e 3 Internacionais. Ele tem décadas de experiência como treinador e foi um dos responsáveis pelo crescimento da ASCA no mundo. Desde que assumiu o cargo de diretor, a entidade passou de 1.600 para 10.700 membros. Na ASCA, Leonard supervisiona uma equipe que desenvolve programas e serviços educacionais, além de organizar o modelo de ensino SwimAmerica que já ensinou mais de 3 milhões de jovens americanos a nadar.

O técnico americano John Leonard - Foto: Reprodução

O técnico americano John Leonard – Foto: Reprodução

Djan Madruga irá apresentar uma palestra sobre o nível 1 Internacional por ter atingido em 2016 o nível 5 da ASCA. A entidade divide a qualificação de seus membros associados em um sistema chamado levels, que vai de 1 a 5. Quanto mais alto o nível, mais crédito um técnico terá para pode treinar equipes na natação americana e internacional. Para ir subindo de patamar, os profissionais precisam ser aprovados em teste e provas e obter resultados significativos com seus nadadores.

A 3ª edição da Clínica ASCA no Brasil conta com apoio de diversas marcas e empresas, entre elas a SWIM CHANNEL. As inscrições estão abertas e podem ser feitas no site oficial do evento, clicando aqui. Quem fizer a sua até a próxima quinta-feira, dia 30 de junho, ganhará um desconto especial.

Por Guilherme Freitas


Desafio do Lago agitará Brasília
Comentários Comente

swimchannel

Acontece no próximo dia 28 de agosto em Brasília, a segunda etapa do Circuito Aqua 2016: o Desafio do Lago. A prova de águas abertas acontecerá no Lago Paranoá, que é um dos pontos mais famosos na capital federal, servindo de palco para travessias, pesca, lazer e prática de esportes náuticos. A organização da travessia espera que milhares de nadadores disputem os 1,5 km da prova.

A distância de 1,5 km é considerada a ideal para unir atletas de diversos níveis técnicos, já que o trajeto não é tão longo e também não é tão curto. Serve como uma iniciação as águas abertas para os novatos e como um treino para os mais experientes. Os atletas largaram próximo ao mirante JK e completaram um circuito em formato retangular contornando cinco boias até retornar as margens do Lago Paranoá.

Atleta no Desafio do Lago 2015 - Foto: Jefferson D. Modesto

Atleta no Desafio do Lago 2015 – Foto: Jefferson D. Modesto

Todos os participantes vão receber um kit especial com camiseta, sacolinha de treino e touca. Ao fim do evento todos ganham ainda uma medalha de participação e os cinco primeiros colocados das categorias masculina e feminina levam um troféu especial.

O Circuito Aqua é composto por quatro provas. A primeira etapa foi a Volta do Parcel, em São Sebastião, no mês de abril. Depois do Desafio do Lago ainda teremos outras duas provas: a Travessia Maravilhosa dia 9 de outubro no Rio de Janeiro e a Fuga das Ilhas em 11 de dezembro, na Barra do Sahy.

As inscrições para o Desafio do Lago já estão abertas e podem ser feitas clicando aqui.

Vista área do Lago Paranoá - Foto: Reprodução/Internet

Vista área do Lago Paranoá – Foto: Reprodução/Internet

Por Guilherme Freitas


Olympic Trials: vai começar
Comentários Comente

swimchannel

A partir de amanhã as atenções de todo o mundo aquático se voltarão ao Century Link Center, em Omaha. Mais de mil nadadores americanos cairão na água visando obter uma vaga para os Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro. Serão oito dias de competição recheados de grandes expectativa para boas performances e possíveis recordes mundiais. No dia 3 de julho iremos conhecer o Team USA que em agosto vem ao Brasil para a Olimpíada. O balizamento já foi divulgado e teremos provas bastante interessantes.

Sem dúvida a grande atração do evento será Michael Phelps. De volta as piscinas após uma breve aposentadoria, o maior atleta olímpico de todos os tempos nadará cinco provas em Omaha: 100m e 200m borboleta, 200m medley, 100m e 200m livre. Nos eventos de livre seu objetivo é conseguir um lugar nos revezamentos americanos. Por isso a tendência é que ele nade apenas as eliminatórias, porém, se a marca feita pela manhã não for boa o suficiente para lhe colocar no revezamento ele poderá disputar a final.

Phelps quer testar sua velocidade na competição - Foto: Omega Watches

Phelps inicia sua jornada por mais ouros olímpicos – Foto: Omega Watches

Se Phelps terá um programa de provas menor do que as últimas seletivas, o mesmo não se pode aplicar a Ryan Lochte. O nadador cairá na água seis vezes: 100m e 200m livre, 100m borboleta, 200m costas, 200m e 400m medley. Pelo seu histórico, é bem possível que ele se retire alguma prova na seletiva. Para Londres-2012 ele fez a loucura de se inscrever em 12 eventos (!), porém desistiu de nadar metade deles. Pelo fato dos 200m costas acontecerem no mesmo dia dos 200m medley, é bem provável que ele não nade esta prova. A grande surpresa é a inscrição nos 100m borboleta, prova que ele tentou se dedicar anos atrás, e os 400m medley, evento que cogitou nunca mais nadar depois do ouro olímpico em Londres.

Entre as mulheres chama a atenção as inscrições de Katie Ledecky. Serão seis quedas na água: todas as provas de livre e os 400m medley. A nadadora é a favorita absoluta a medalha de ouro olímpica nos 400m e 800m livre e tem grandes chances nos 200m livre. Nos 100m livre o objetivo deverá ser conseguir um lugar no revezamento e nos 50m testar sua velocidade. Já os 400m medley podem ser uma alternativa para entrar na competição, pois a prova acontece no primeiro dia. Já Missy Franklin nadará suas quatro tradicionais provas (100m e 200m livre e 100m e 200m costas) e Natalie Coughlin que busca no Rio tornar-se a maior medalhista da história da natação feminina nada três eventos: 50m e 100m livre e 100m costas.

Ledecky seria eleita a melhor do mundo pelos novos critérios da Fina - Foto: Associated Press

Katie Ledecky encara seis provas na seletiva americana – Foto: AP Photo

Outros destaques são os 100m livre masculino (com dez nadadores balizados abaixo dos 49s, liderados pelo campeão olímpico Nathan Adrian), as acirradas lutas por vagas nos revezamentos femininos de nado livre e os 100m costas masculino com o trio David Plummer, Matt Grevers e Ryan Murphy bem a frente dos adversários e lutando por duas vagas. A seletiva americana acontece durante os dias 26 de junho e 3 de julho e terá transmissão da TV americana NBC. Não haverá transmissão do evento para o Brasil, mas resultados em tempo real e mais detalhes podem ser acompanhados pelo site da USA Swimming, clicando aqui.

Por Guilherme Freitas


Seis vezes Alshammar
Comentários Comente

swimchannel

O dia 12 de agosto de 2016 vai entrar para a história da natação olímpica. Não estamos nos referindo a final dos 800m livre feminino que acontece a noite e pode consagrar Katie Ledecky. Falamos das eliminatórias dos 50m livre feminino. Em alguma das séries uma veterana atleta caíra na água para competir pela sexta vez na carreira em Jogos Olímpicos.

Trata-se da sueca Therese Alshammar. Aos 38 anos ela foi confirmada hoje pelo Comitê Olímpico Sueco como membro da delegação do país no Rio de Janeiro. A velocista nadará apenas os 50m livre. Assim que ouvir o sinal para largar do bloco de partida ela se tornará a primeira nadadora a atingir a marca de meia-dúzia de Olimpíadas. Vai igualar seu compatriota Lars Frölander e o turco Derya Büyükuncu que são até hoje os únicos a nadarem seis vezes.

A nadadora sueca Therese Alshammar - Foto: Gian Mattia D'Alberto/Lapresse

A nadadora sueca Therese Alshammar – Foto: Gian Mattia D'Alberto/Lapresse

Nesses 20 anos que separam sua estreia olímpica em Atlanta-1996 e sua provável despedida no Rio-2016, Alshammar tornou-se uma das nadadoras mais vitoriosas de sua geração. Ganhou três medalhas em Jogos Olímpicos (prata nos 50m e 100m livre e bronze com o 4x100m livre em Sydney-2000), soma 25 subidas ao pódio em Mundiais de longa e  curta, além de conquistar 43 medalhas em Campeonatos Europeus. Some-se a isso mais quatro recordes mundiais, dois títulos da Copa do Mundo da Fina e o prêmio de melhor nadadora do mundo pela Fina em 2010.

Após o sexto lugar nos 50m livre em Londres-2012 parecia que a carreira da sueca havia chegado ao fim. Casada com seu técnico Johan Wallberg, ela engravidou e deu a luz ao filho Fred em 2013. Porém, a saudade das piscinas falou mais alto e ela voltou a nadar. Ao disputar o Aberto de Estolcomo este ano marcou 24s95, índice A exigido pela Fina.

Alshammar vai nadar pela sexta vez uma Olimpíada - Foto: Arena/Divulgação

Alshammar vai nadar pela sexta vez uma Olimpíada – Foto: Reprodução/Internet

Em Pequim-2008 a americana Dara Torres disputou os Jogos com 41 anos. Mais uma motivação para Alshammar quem sabe buscar uma vaga em Tóquio-2020.

Por Guilherme Freitas


Os bastidores da seletiva americana
Comentários Comente

swimchannel

Tem início no próximo domingo a seletiva olímpica dos Estados Unidos para os Jogos do Rio-2016. Serão oito dias até conhecermos a equipe que viajará para o Brasil daqui a pouco mais de um mês. Todas as atenções se voltarão para o Century Link Center na cidade de Omaha, local onde foi construída uma piscina temporária especialmente para a competição. Na piscina estão nomes como Michael Phelps, Katie Ledecky, Missy Franklin e Ryan Lochte. Mas o USA Olympic Trials não se resume apenas as disputas dentro d’água.

Como todo grande evento americano, a seletiva olímpica também terá suas atrações outside the pool. Assim como as finais da NBA ou o grande jogo do Super Bowl, onde acontecem eventos especiais para o público e shows, os fãs da natação poderão se divertir em espaços para família, encontrar os atletas olímpicos e acompanhar com exclusividade este que é um dos eventos de natação mais importantes do mundo.

O Aqua Zone é um ambiente para fãs curtirem com a família - Foto: USA Swimming

O Aqua Zone é um ambiente para fãs curtirem com a família – Foto: USA Swimming

O Aqua Zone será um dos locais mais frequentados durante a seletiva. Ele já estará funcionando a partir de amanhã e no ambiente haverá diversas atividades para quem for assistir a seletiva olímpica como stands com games de natação e interatividades, espaços para visitantes tirarem fotos, painéis especiais, lojas de diversas marcas, encontro com os atletas que concederão autógrafos e até surfar em uma máquina que simula ondas.

Outro destaque será a USA Swimming House, um lugar onde os fãs poderão participar de atividades especiais e exclusivas com atletas e ex-atletas. Os ingressos para essa atividade já se esgotaram e quem conseguiu garantir seu ticket poderá almoçar, jantar, tomar um sundae e até degustar algumas cervejas com lendas olímpicas.

Vista do Old Mattress Factory Bar & Grill, que será a USA Swimming House - Foto: USA Swimming

Vista do Old Mattress Factory Bar & Grill, que será a USA Swimming House – Foto: USA Swimming

A seletiva americana acontece durante os dias 26 de junho e 3 de julho e terá transmissão da TV americana NBC. Não haverá transmissão do evento pelo site da USA Swimming e todas as informações da competição você confere no site oficial clicando aqui.

Por Guilherme Freitas


Gustavo Borges cai na água em Itu
Comentários Comente

swimchannel

Com quatro medalhas olímpicas e dois recordes mundiais no currículo, Gustavo Borges voltará a competir! Mas calma, ele não está se preparando para uma Olimpíada ou Campeonato Mundial. Gustavo caíra na água apenas neste fim de semana para participar de uma competição com mais de 200 crianças e adolescentes no Festival de Natação em Itu, que serão divididos em grupos de até 12, para as provas de acordo com o nível técnico. O evento especial celebra a evolução desses jovens que aprenderam a nadar utilizando a Metodologia GB e fazem parte do projeto social Nadando com Gustavo Borges.

Este projeto, criado em 2014, tem como maior objetivo promover educação, cidadania e inclusão social através do esporte. O Nadando com Gustavo Borges também incentiva a educação, já que um dos requisitos para participar da ação é manter bom desempenho escolar. Os pequenos nadadores recebem materiais e aprendem a nadar. Com o passar dos anos vão melhorando sua técnica e podem passar a disputar competições estaduais.

O nadador Gustavo Borges com as crianças do projeto - Foto: Talita Saab

O nadador Gustavo Borges com as crianças do projeto – Foto: Talita Saab

A Metodologia GB é uma das parcerias da ação social e nos últimos anos ajudou a revelar talentos que já disputaram campeonatos paulistas através do método. Um deles curiosamente tem o mesmo nome do consagrado nadador: Gustavo Borges. Hoje aos 16 anos de idade ele soma medalhas em campeonatos nacionais e estaduais e pretende escrever uma história no esporte assim como seu xará famoso.

“O principal objetivo do projeto é a formação de cidadãos, com foco no contraturno escolar e no reforço dos valores do esporte, como disciplina e dedicação. E os alunos vêm apresentando melhores notas e um comprometimento maior nas aulas. Isso tem um valor enorme quando se pensa em jovens e crianças que talvez não tenham tantas oportunidades no dia a dia'', afirma Gustavo Borges.

O medalhista olímpico Gustavo Borges - Foto: Talita Saab

O medalhista olímpico Gustavo Borges – Foto: Talita Saab

O evento acontece neste sábado, dia 25 de junho, na piscina do Conjunto Aquático Coronel Fiori Marcelo Amantéa, em Itu, a partir das 9h.

Por Guilherme Freitas


Os campeões Desafio Aquaman no Aloha Spirit Festival
Comentários Comente

swimchannel

Aconteceu neste fim de semana em Paraty a segunda edição da temporada 2016 do Aloha Spirit Festival. O evento reuniu cerca de 800 de atletas na região da Praia do Pontal para disputas de stand up paddle, canoa havaiana, paddleboard, surfski, waterman e claro natação em águas abertas que contou com a parceria do Desafios Aquaman.

As provas de águas abertas tiveram dois percursos. O mais longo foi de 3,5 km e teve como campeões Thais Santana no feminino e Gustavo Borges no masculino. Thais venceu a prova feminina em 47min41s. O pódio ainda teve Udmilla Oliveira com a prata (51min13s) e Patricia Buosi com o bronze (53min44s). No masculino, Gustavo levou a prova com 42min50s. Diego Vidal terminou em segundo lugar (43min05s) e Marcos Fraccaro chegou em terceiro (43min58s).

O evento reuniu 800 atletas em Paraty - Foto: Alexandre Socci

O evento reuniu 800 atletas em Paraty – Foto: Alexandre Socci

A prova mais curta do Aquaman teve 1,5 km e coroou Thais Santana e Alexander Rehder como vencedores. Vale ressaltar que Redher é o fisioterapeuta da seleção brasileira de maratonas aquáticas (isso que é amar a natação!)
O litoral de Paraty é extremamente favorável a realização de eventos aquáticos, visto que o mar é bastante liso. A maré estava seca e a profundidade da água era relativamente rasa, o que não interferiu na performance dos atletas.

O Aloha Spirit Festival de Paraty teve transmissão em tempo real através do seu site oficial e contou com comentários do editor-chefe da SWIM CHANNEL, Patrick Winkler. A equipe SWIM CHANNEL no festival Aloha Spirit, tem como hospedagem oficial a Pousada de Paraty Magia Verde. Confira todos resultados das provas Aquaman de águas abertas e demais eventos da etapa clicando aqui.

Por Guilherme Freitas


A primeira e última Olimpíada
Comentários Comente

swimchannel

Hoje em dia muitos nadadores tem o sonho de participar de diversos Jogos Olímpicos e para isso não medem esforços visando prolongar suas carreiras nas piscinas. Antigamente era comum ver atletas com menos de 25 anos se aposentando precocemente, porém, nos dias atuais é cada vez mais comum assistirmos nadadores de elite com mais de 30 anos disputando grandes eventos e conseguindo resultados expressivos. Um exemplo e Michael Phelps, que após uma breve aposentadoria retornou a piscinas e hoje as vésperas de completar 31 anos afirma estar na melhor fase da vida desde os Jogos de Pequim-2008.

Como ocorreu com outras modalidades, a natação desenvolveu estudos e tecnologias e ganhou mercado, dando mais estabilidade financeira aos atletas. A Olimpíada é o auge e ápice de todo nadador. Disputar uma edição é motivo de orgulho e realização do objetivo. Significa estar entre os melhores do mundo. Há quem utilize sua primeira participação como um aprendizado para uma futura oportunidade. Outros planejam acumular medalhas e entrarem para a história. E alguns visam bater recordes de participações e longevidade. Porém, existem exceções como Maya DiRado.

A nadadora Maya DiRado - Foto: Delly Carr

A nadadora Maya DiRado – Foto: Delly Carr

Aos 23 anos a nadadora americana está no auge da forma física e técnica. Em 2015 foi vice-campeã mundial em Kazan nos 400m medley e terminou a temporada entre as cinco melhores do mundo nos 200m e 400m medley. Motivação para planejar uma carreira longeva e de sucesso? Errado. DiRado afirmou que pretende disputar no Rio de Janeiro sua primeira e última Olimpíada.

“Este será meu último verão como atleta. Adoro a natação e estou motivada para ir aos Jogos do Rio, mas acho que não poderia manter essa rotina por mais quatro anos. É muito intenso”, disse a nadadora a revista US Weekly. DiRado ainda não tem vaga para nadar no Rio. Ela nadará na próxima semana a seletiva americana em Omaha, onde é a favorita para conquistar a vaga nas provas de medley.

Maya DiRado pretende se dedicar ao mundo dos negócios - Foto: Jae C. Hong/AP Photo

Maya DiRado pretende se dedicar ao mundo dos negócios – Foto: Jae C. Hong/AP Photo

Após a Olimpíada do Rio seus colegas de seleção deverão começar a planejar o próximo ciclo olímpico. Já DiRado estará com a cabeça no ramo do mercado dos negócios, área onde ela irá trabalhar. “Fui contratada por uma empresa em 2014, mas disse que estava treinando duro para os Jogos Olímpicos. Eles me desejaram sorte e disseram que gostariam de ver novamente em 2016”, disse na mesma entrevista.

Enquanto jovens nadadores pretendem escrever seus nomes na história do esporte, DiRado resolveu seguir por outro caminho. Uma atitude rara em uma modalidade que cada vez fica mais longeva e competitiva.

Por Guilherme Freitas


Os primeiros 50m livre olímpicos
Comentários Comente

swimchannel

Daqui a exatos 50 dias os principais nadadores do mundo cairão na piscina do Estádio Olímpico Nacional para as disputas dos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro. 50 é também o número da prova mais curta e mais rápida da modalidade, que também é a caçula do programa olímpico. Esta prova foi adicionada ao evento apenas nos Jogos Olímpicos de Seul-1988. Mas como terá sido a edição de estreia desta prova 28 anos atrás.

Uma curiosidade é que a prova masculina estava desfalcada de seu principal favorito. Meses antes dos Jogos o sul-africano Peter Williams havia batido o recorde mundial da distância ao marcar 22s18 em uma competição disputada nos Estados Unidos onde ele treinava, estudava e morava. Na época vigorava na África do Sul o regime racista do apartheid e o país estava suspenso de competições internacionais pelo Comitê Olímpico Internacional. Devido a essa punição ao país, Williams não pode nadar em Seul.

O nadador Matt Biondi - Foto: Reprodução

O nadador Matt Biondi – Foto: Reprodução

Um adversário a menos para aquele que foi o grande nome da natação masculina: o americano Matt Biondi. O atleta chegou a Coreia do Sul para nadar sete provas e tentar igualar o recorde de vitórias do compatriota Mark Spitz. Ele até que subiu sete vezes ao pódio, porém, cinco no degrau mais alto. Um dessas medalhas douradas veio nos 50m livre. E com uma performance histórica. Biondi foi o mais veloz nas eliminatórias e repetiu a dose na final com um novo recorde mundial: 22s14, apenas quatro centésimos mais veloz do que Williams. O pódio ainda teve o americano Tom Jaeger com a prata (22s36) e o soviético Gennadiy Prigoda (22s71).

A prova feminina não teve recorde mundial, mas viu a principal favorita ser derrotada. A chinesa Yang Wenyi havia batido a marca mundial meses antes dos Jogos com 24s98, tornando-se a primeira mulher da história a nadar a distância abaixo dos 25 segundos. Uma curiosidade é que o recorde da chinesa e de Williams ocorreram no mesmo dia: 10 de abril de 1988, mas em locais separados. O dele em Indianápolis e o dela em Guangzhou.

A nadadora Kristin Otto - Foto: Reprodução

A nadadora Kristin Otto – Foto: Reprodução

Em Seul Wenyi fez o melhor tempo das eliminatórias, porém, foi surpreendida na final por Kristin Otto que venceu com 25s49. Representando a Alemanha Oriental, a atleta de 24 anos foi 15 centésimos mais veloz e levou a medalha de ouro. A alemã oriental Katrin Meissner e a americana Jill Sterkel dividiram o bronze com 25s71. Otto teve uma campanha de 100% de aproveitamento em Seul, com seis provas e seis medalhas de ouro em sua única participação olímpica. Em Los Angeles-1984 ela foi prejudicada pelo boicote dos países comunistas e ficou de fora.

Desde então diversos nomes já foram consagrados na distância como Alexander Popov, Inge de Brujin, Gary Hall Jr e o brasileiro Cesar Cielo. A prova que muitas vezes era tido como a menos importante ganhou espaço e visibilidade. Hoje é uma das provas mais populares e foi a que teve mais procura por ingressos no Rio-2016.

Por Guilherme Freitas


Aloha Spirit em Paraty!
Comentários Comente

swimchannel

O Aloha Spirit Festival chega a Paraty neste fim de semana para a realização da segunda etapa do circuito em 2016. Disputado pela primeira vez em 2008 o evento tinha como carro-chefe a canoa havaiana, porém, ele vem se firmando nos últimos anos como um dos principais circuitos de praia do país. Hoje reúne mais de 1500 inscritos por etapa e uma das modalidades mais populares do Aloha Spirit é a natação em águas abertas.

Em Paraty as provas serão disputadas sábado (dia 18 de junho) e domingo (dia 19 de junho) e contam com a parceria do Desafios Aquaman, um projeto que integra natação de longas distâncias com a natureza e belezas naturais. Samir Barel, que contabiliza diversos feitos nas águas abertas estará em ação nas águas de Paraty. Além de Samir outros destaques nacionais estarão em ação como a dupla da seleção brasileira Samuel de Bona e Betina Lorscheitter.

Mapa com o percurso das provas - Foto: Reprodução

Mapa com o percurso das provas – Foto: Reprodução

No sábado acontecerá a prova menor que terá percurso de 1,5 km. A largada e chegada será na Praia do Pontal. O circuito é bem simples e os nadadores terão que contornar seis boias até o ponto final. No dia seguinte ocorre a prova mais longa que terá a distância de 3,5 km. A largada acontecerá na Praia do Jabaquara e a chegada acontece na Praia do Pontal. O circuito será mais aberto e os nadadores deverão contornar seis boias (veja os percursos na imagem acima). O evento será transmitido ao vivo pela internet no website oficial do e com comentários do nosso editor-chefe Patrick Winkler.

Além das provas em águas abertas teremos disputas de stand up paddle, paddleboard, canoa havaiana, surfski, apneia e waterman. O Aloha Spirit Festival é organizado pela Ecooutdoor Sports Business e conta com patrocínio e apoio de diversas empresas como a marca esportiva Mormaii. A equipe SWIM CHANNEL no festival Aloha Spirit, tem como hospedagem oficial a Pousada de Paraty Magia Verde.

Por Guilherme Freitas