Topo
Swim Channel

Swim Channel

Categorias

Histórico

Dossiê Barcelona 2013: 4x100m livre

swimchannel

27/07/2013 16h26

4x100m livre feminino: Austrália e Estados Unidos disputam o ouro

Em mundiais: desde 1973
Melhores resultados do Brasil:
11º em 1975
12º em 1986
13º em 1973 (Lucy Maurity Burle, Maria Elisa Guimarães, Rosemary Peres Ribeiro e Jackeline Mross)
13º em 1998 (Tatiana Lemos, Raquel Takaya, Monique Ferreira e Lucia Santos)
Equipe brasileira em Barcelona: Alessandra Marchioro (55.15), Daynara de Paula (55.27), Larissa Oliveira (55.70) e Graciele Herrmann (55.79)

A Holanda dominou a prova durante quatro anos, de 2008 a 2012, mas em Londres perdeu a hegemonia para a Austrália e se bobear em Barcelona termina fora do pódio. Elas ainda contam com as duas principais nadadoras, a campeã olímpica dos 50m e 100m Ranomi Kromowidjojo e Femke Heemskerk. Mas Marleen Veldhuis se aposentou e Inge Dekker vem nadando cada vez mais devagar. E elas não têm a capacidade de renovação que possuem Austrália e Estados Unidos. As australianas apresentaram Cate Campbell em grande forma, e sua irmã Bronte também está nadando rápido. Apesar de Melanie Schlanger ter abdicado do mundial, elas têm tudo para repetir o título que conquistaram em Londres. As americanas não têm ninguém para 52s, mas têm uma equipe mais homogênea (todas para 53s), com Missy Franklin como destaque e, se nada mudar, três coadjuvantes que em breve podem se tornar protagonistas (Shanon Vreeland, Megan Romano e a jovem Simone Manuel de 16 anos) – isso se a super estrela Natalie Coughlin não nadar, o que é uma possibilidade. Com a menor bobeada da Holanda, outras equipes estão à espreita. Quem tem mais chances é a China, quarta colocada em Londres, com Tang Yi, bronze nos 100m livre na Olimpíada, já tendo nadado rápido esse ano. Dinamarca, França e Suécia também podem brigar. O Brasil precisará de uma superação total para conseguir uma final (todas abaixo de 55s). Um objetivo palpável é conseguir a melhor colocação do país na história da prova, que é um 11º lugar do distante mundial de 1975.

O time australiano, campeão olímpico em Londres

Em provas de revezamentos não trazemos o ranking de 2013, pois a maioria das seleções nacionais não competiu com seus melhores nadadores em revezamentos

Top 10 All Time
1. 3:31.72 Holanda 2009
2. 3:31.83 Alemanha 2009
3. 3:33.01 Austrália 2009
4. 3:34.24 Estados Unidos 2012
5. 3:35.31 Suécia 2009
6. 3:35.63 China 2009
7. 3:35.81 Shanghai 2009
8. 3:36.99 Grã-Bretanha 2009
9. 3:37.45 Dinamarca 2012
10. 3:37.64 Hungria 2009

Pódio de Xangai-2011: 1. Holanda (3:33.96), 2. Estados Unidos (3:34.47), 3. Alemanha (3:36.05)

Pódio de Londres-2012: 1. Austrália (3:33.15); 2. Holanda (3:33.79); 3. Estados Unidos (3:34.24)

Recordes
Mundial: Holanda – 3:31.72 (2009)
Camp. Mundial: Holanda – 3:31.72 (2009)
Sul-americano: Pinheiros, BRA – 3:41.49 (2009)
Brasileiro: Pinheiros, BRA – 3:41.49 (2009)
Norte-Americano: Estados Unidos – 3:34.24 (2012)
Europeu: Holanda – 3:31.72 (2009)
Oceania: Austrália – 3:33.01 (2009)
Asiático: China – 3:35.63 (2009)
Africano: Northern Tigers, RSA – 3:47.70 (2011)

 

4x100m livre masculino: Rússia aparece como favorita

Em mundiais: desde 1973
Melhores resultados do Brasil:
3º em 1994 (Fernando Scherer, Teófilo Ferreira, André Teixeira e Gustavo Borges)
4º em 2009 (Cesar Cielo, Nicolas Oliveira, Guilherme Roth e Fernando Silva)
5º em 1973 (Ruy Aquino Oliveira, Jorge Namorado, J. Adams e J. Aranha)
6º em 1998 (Fernando Scherer, Edvaldo Valério, André Cordeiro e Gustavo Borges)
8º em 2007 (Cesar Cielo, Nicolas Oliveira, Rodrigo Castro e Thiago Pereira)
9º em 2011 (Bruno Fratus, Nicolas Oliveira, Marcos Macedo e Marcelo Chierighini)
Equipe brasileira em Barcelona: Marcelo Chierighini (48.11), Nicolas Oliveira (48.72), Fernando Ernesto dos Santos (48.72) e Vinicuis Waked (49.34)

Há dez anos, na mesma Barcelona, a equipe russa apresentou uma equipe fortíssima e, liderada por Alexander Popov, venceu o 4x100m livre pela primeira vez na história dos Mundiais. Agora, a história pode ser repetir. Apesar da França ser a atual campeã olímpica, a Austrália ser a campeã mundial e os Estados Unidos serem os recordistas mundiais, o que a equipe russa mostrou na Universíade a coloca como a principal favorita. Somente eles têm dois nadadores abaixo de 48 segundos nos 100m livre (Vladimir Morozov e Andrei Grechin) e quatro entre os dez melhores de 2013 na prova. Quem aparece mais perto é a Austrália, com James Magnussen para 47s e Cameron McEvoy para 48s baixo (e ainda James Roberts, que nadou para 47s no ano passado), tentando se recuperarem da incrível decepção olímpica quando, como revezamento campeão mundial e favorita absoluta, terminou fora do pódio. Por incrível que pareça, o melhor tempo do ano da França é de Florent Manaudou, que nunca nadou os 100m livre em grandes competições. O herói de Londres, Yannick Agnel, é uma incógnita e dificilmente repetirá aquela performance de 46s74 que deu o ouro olímpico à equipe. E a sempre forte equipe americana dependerá totalmente do campeão olímpico dos 100m Nathan Adrian. O que não pode acontecer é Anthony Ervin se empolgar muito e sair rasgando nos primeiros 50 metros, pois se a morte na volta for muito grande eles podem terminar até fora do pódio. Teoricamente, o Brasil teria o quinto tempo do ano. Ou seja, a briga por medalhas não está tão longe. Caso Cesar Cielo nade, essa perspectiva fica ainda melhor. Itália e Alemanha devem estar na final, mas dificilmente brigarão pelo pódio.

Os russos tem a melhor marca do ano

Em provas de revezamentos não trazemos o ranking de 2013, pois a maioria das seleções nacionais não competiu com seus melhores nadadores em revezamentos

Top 10 All Time
1. 3:08.24 Estados Unidos 2008
2. 3:08.32 França 2008
3. 3:09.52 Rússia 2009
4. 3:09.91 Austrália 2008
5. 3:10.80 Brasil 2009
6. 3:11.48 Itália 2008
7. 3:11.62 Grã-Bretanha 2009
8. 3:11.92 Suécia 2008
9. 3:11.93 África do Sul 2009
10. 3:12.26 Canadá 2008

Pódio de Xangai-2011: 1. Austrália (3:11.00), 2. França (3:11.14), 3. Estados Unidos (3:11.96)

Pódio de Londres-2012: 1. França (3:09.93); 2. Estados Unidos (3:10.38); 3. Rússia (3:11.41)

Recordes
Mundial: Estados Unidos – 3:08.24 (2008)
Camp. Mundial: Estados Unidos – 3:09.21 (2009)
Sul-americano: Brasil – 3:10.80 (2009)
Brasileiro: Brasil – 3:10.80 (2009)
Norte-Americano: Estados Unidos – 3:08.24 (2008)
Europeu: França – 3:08.32 (2008)
Oceania: Austrália – 3:09.91 (2008)
Asiático: Japão – 3:14.73 (2009)
Africano: África do Sul – 3:11.93 (2009)

Por Daniel Takata

Sobre o Autor

Daniel Takata
Redator da Revista Swim Channel. Tem colaborado com os principais veículos impressos e eletrônicos sobre natação e vem comentando competições no SporTV.

Guilherme Freitas
Jornalista da Revista Swim Channel e correspondente internacional de imprensa da FINA (Federação internacional de Natação), formado pela FMU e pós-graduado em Globalização pela Escola de Sociologia e Política.

Patrick Winkler
Editor- Chefe da Revista Swim Channel, Colunista da Radio Bradesco Esportes FM. Graduado em administração de empresas na Universidade Mackenzie, e pós-graduado em Gestão do Esporte pelo Instituto Trevisan.

Mayra Siqueira
Repórter da Revista Swim Channel e jornalista esportiva da Rádio CBN. É correspondente da FINA (Federação internacional de Natação) no Brasil e é colunista de natação para o Blog Esporte Fino, da Carta Capital.

Sobre o Blog

A Swim Channel é uma editora formada por nadadores que escreve exclusivamente sobre natação sendo eleita a melhor revista do segmento no mundo inteiro no ano de 2012. Através deste Blog, consegue fomentar noticias diárias aumentando o alcance do conteúdo editorial. Acompanhe entrevistas com atletas e personalidades, cobertura dos principais eventos, análises das diversas áreas relacionadas a nossa modalidade.