PUBLICIDADE
Topo

Histórico

Categorias

Sumiço de Sun Yang marca o último dia do Mundial de Kazan

swimchannel

09/08/2015 13h41

O último dia do Campeonato Mundial de Kazan foi marcado por uma história misteriosa. Os resultados foram ofuscados por apenas uma pergunta: afinal o que aconteceu com Sun Yang? O chinês deveria estar nadando na raia 2 durante a final dos 1500m livre onde era o grande favorito a vitória, porém, ele não apareceu.

O canadense Ryan Cochrane, que nadou os 1500m livre, afirmou a uma emissora de TV que o chinês havia se sentido mal na piscina de soltura e por isso não competiu. Devido ao histórico do atleta até seria possível a história, afinal Yang cumpriu uma suspensão por doping ano passado devido a uso de um remédio controlado para problemas cardíacos. Nessas situações é comuns alguns boatos serem levantados. O site SwimSwam levantou uma história curiosa dizendo que Yang havia se metido em uma confusão com uma nadadora e um técnico brasileiro. Em entrevista ao Sportv, Alberto Pinto da Silva (técnico da seleção brasileira) confirmou a informação e disse que Yang havia se desentendido com uma atleta do Brasil, porém, a história havia ocorrido pela manhã durante as eliminatórias e que não havia sido esse o motivo de sua não participação na final.

Após alguns momentos de tensão a Fina divulgou uma nota oficial dizendo que Yang havia sentido um desconforto no peito durante o aquecimento e que não havia equipamentos de medicação suficientes para examiná-lo com mais detalhes. Por precaução o chinês resolveu não nadar a prova. Devido a proximidade da largada não houve tempo suficiente para avisar o primeiro nadador reserva, no caso Pal Joensen, para ele competir no lugar de Yang e a raia ficou vazia.

O chinês Sun Yang - Foto: Michael Sohn/Associated Press

O chinês Sun Yang – Foto: Michael Sohn/Associated Press

Sem o chinês na água, a vida ficou facilitada para o italiano Gregorio Paltrenieri. Dono do melhor tempo do ano até o Mundial, ele foi absoluto em praticamente toda a prova. Nadando forte ele conseguiu melhorar seu tempo cravando 14min39s67 e conquistando seu primeiro título mundial em piscina longa e também o primeiro ouro da Itália nesta prova. O americano Connor Jaeger cresceu no final da prova e levou a prata, seguido pelo canadense Ryan Cochrane que cansou no final e terminou com o bronze.

Nomes de peso não faltaram na prova mais veloz da natação feminina. As irmãs Cate e Bronte Campbell, Francesca Halsall, Ranomi Kromowidjojo, Sarah Sjostrom, Arianna Vanderpool-Wallace. Na final havia a expectativa de ver alguém na casa dos 23 segundos. Isso acabou não acontecendo, porém, a final foi bastante equilibrada com a diferença entre a vencedora e a oitava colocada sendo de apenas 0s45. Campeã dos 100m livre, Bronte Campbell repetiu a dose e triunfou também nos 50m com 24s12. A atual campeã olímpica Ranomi Kromowidjojo teve uma ótima saída, mas acabou sendo superada no fim e levou a prata. O bronze foi para a sueca Sarah Sjostrom que conquistou sua quarta medalha em Kazan.

Bronte Campbell - Foto: Michael Sohn/Associated Press

Bronte Campbell – Foto: Michael Sohn/Associated Press

A grande surpresa do dia aconteceu na final dos 50m peito feminino. Nem Ruta Meilutyte, Alia Atkinson ou Yulia Efimova, a medalha de ouro ficou com a sueca Jennie Johansson que fez uma prova muito forte e com uma chegada precisa garantiu sua primeira medalha em Mundiais com 30s05. Ao seu lado no pódio Atkinson (prata) e Efimova (bronze). Já Ruta, ficou fora do pódio na quarta colocação. Se nos 50m peito tivemos uma zebra, ela passou longe dos 50m costas. O francês Camille Lacourt venceu com autoridade fazendo o melhor tempo dos últimos três anos: 24s23. O americano Matt Grevers e o australiano Ben Treffers completaram o pódio com 24s61 e 24s69, respectivamente.

Nos 400m medley os favoritos levaram a medalha de ouro. Na prova masculina ouro para Daiya Seto que conquistou o bicampeonato mundial de forma tranquila, liderando de ponta a ponta e triunfando com 4min08s50. O húngaro David Verraszto levou a prata e o americano Chase Kalisz ficou com o bronze. No feminino ninguém conseguiu parar Katinka Hozssu que venceu mais uma vez em Kazan, mas sem recorde mundial: 4min30s39. A americana Maya di Rado e a canadense Emilly Overholt levaram prata e bronze respectivamente.

Fechando a prova tivemos os revezamentos 4x100m medley. No masculino o quarteto Ryan Murphy, Kevin Cordes, Tom Shields e Nathan Adrian fizeram valer seu favoritismo e levaram o ouro com 3min29s93. Já no feminino o time chinês formado por Yuanhui Fu, Jinglin Shi, Ying Lu e Duo Shen garantiu o ouro com 3min54s41.

Por Guilherme Freitas e Mayra Siqueira

A equipe Swim Channel no Mundial de Kazan é patrocinada pela Finis, a melhor tecnologia para natação.

Sobre o Autor

Daniel Takata
Redator da Revista Swim Channel. Tem colaborado com os principais veículos impressos e eletrônicos sobre natação e vem comentando competições no SporTV.

Guilherme Freitas
Jornalista da Revista Swim Channel e correspondente internacional de imprensa da FINA (Federação internacional de Natação), formado pela FMU e pós-graduado em Globalização pela Escola de Sociologia e Política.

Patrick Winkler
Editor- Chefe da Revista Swim Channel, Colunista da Radio Bradesco Esportes FM. Graduado em administração de empresas na Universidade Mackenzie, e pós-graduado em Gestão do Esporte pelo Instituto Trevisan.

Mayra Siqueira
Repórter da Revista Swim Channel e jornalista esportiva da Rádio CBN. É correspondente da FINA (Federação internacional de Natação) no Brasil e é colunista de natação para o Blog Esporte Fino, da Carta Capital.

Sobre o Blog

A Swim Channel é uma editora formada por nadadores que escreve exclusivamente sobre natação sendo eleita a melhor revista do segmento no mundo inteiro no ano de 2012. Através deste Blog, consegue fomentar noticias diárias aumentando o alcance do conteúdo editorial. Acompanhe entrevistas com atletas e personalidades, cobertura dos principais eventos, análises das diversas áreas relacionadas a nossa modalidade.

Blog Swim Channel