PUBLICIDADE
Topo

Histórico

Categorias

Swim Channel

O marketing no maiô que nadava sozinho

swimchannel

17/06/2015 16h53

Mais de 250 recordes mundiais quebrados em uma das épocas mais memoráveis da natação no planeta. E muitas, muitas polêmicas. O LZR Racer, da marca Speedo, maiô extremamente tecnológico que tornou memorável uma geração de atletas, foi eleito nessa semana como um dos dez melhores cases internacionais da década no esporte. O ranking publicado no Máquina do Esporte buscou o que melhor aconteceu no marketing esportivo fora do Brasil na última década.

O traje impulsionou a indústria das modalidades aquáticas em 2008. Difícil não se lembrar dos Jogos Olímpicos de Pequim naquele ano, em que a peça, uma "obra-prima da engenharia aquática", com inspiração na Nasa, foi vestida por 23 dos 25 recordes quebrados nos oitos dias de competição na China. Foram 100% das medalhas de ouro masculinas em disputa (as oito de Michael Phelps, inclusive).

epa01253286 US Olympic Swimming Gold Medalist Michael Phelps wears the new LZR swimsuit at Speedo's new LZR Racer swimsuit presentation in New York USA, 12 February 2008. EPA/PETER FOLEY

Michael Phelps é modelo de apresentação do LZR Racer – Foto: Divulgação Speedo

O maiô foi proibido ao final da temporada seguinte, após o Mundial de Roma-2009, outra enxurrada de recordes e marcas quase sobre-humanas. Foram banidos o LZR e todos os semelhantes lançados posteriormente de poliuretano.

As polêmicas e as marcas

A bagunça foi tamanha que os "supermaiôs" foram considerados como "doping tecnológico". Falava-se mais da vestimenta do que do esporte. A Fina entrou em contradição ao alegar que certos recordes seriam homologados, enquanto outros não. Depois, voltou atrás. No fim, todas as marcas feitas entre fevereiro de 2008 e dezembro de 2009 acabaram sendo aceitas, e têm demorado um tempo considerável para serem batidas.

Usando o LZR, Phelps e outros tantos atletas, bateram recordes mundiais e conquistaram o ouro em Pequim-2008

Usando o LZR, Phelps e outros tantos atletas, bateram recordes mundiais e conquistaram o ouro em Pequim-2008

Diante da polêmica na época, o jornal francês L'Équipe ameaçou não citar os recordes batidos até a Fina regulamentar os trajes. O "asterisco" virtual passou a fazer parte dos recordes nos comentários dos especialistas em natação. "Tempo antes ou pós era dos supermaiôs" tornou-se um jargão.

Com os recordes mundiais em mãos, uma rápida olhada nos permite perceber o peso da influência dos trajes tecnológicos. Sem eles, o homem não teria ainda superado a barreira dos 21 segundos nos 50m livre. Somente Cesar Cielo, detentor do recorde mundial, com 20s91, e Fred Bousquet atingiram a marca.

Todas as provas do estilo livre no masculino mantêm recordes da época com o "bônus" do tecido mágico, com exceção dos 1500m livre, melhor marca mundial feita por Sun Yang em Londres-2012. Todos os tempos de costas e borboleta, os 50m peito, além dos 400m medley de Michael Phelps e os revezamentos permanecem de 2008 ou 2009.

Já entre as mulheres, há uma mescla maior. O fenômeno Katie Ledecky tem os recordes recentes dos 400m, 800m, 1500m livre. No nado de costas, restam as marcas dos 50m e 100m de 2009, os 200m borboleta, os 200m medley e os 4×200 livre da China, batido no Mundial de Roma.

Não à toa o maiô que começou essa "moda" inesquecível – e não necessariamente de forma positiva – no mundo aquático.

Por Mayra Siqueira

Sobre o Autor

Daniel Takata
Redator da Revista Swim Channel. Tem colaborado com os principais veículos impressos e eletrônicos sobre natação e vem comentando competições no SporTV.

Guilherme Freitas
Jornalista da Revista Swim Channel e correspondente internacional de imprensa da FINA (Federação internacional de Natação), formado pela FMU e pós-graduado em Globalização pela Escola de Sociologia e Política.

Patrick Winkler
Editor- Chefe da Revista Swim Channel, Colunista da Radio Bradesco Esportes FM. Graduado em administração de empresas na Universidade Mackenzie, e pós-graduado em Gestão do Esporte pelo Instituto Trevisan.

Mayra Siqueira
Repórter da Revista Swim Channel e jornalista esportiva da Rádio CBN. É correspondente da FINA (Federação internacional de Natação) no Brasil e é colunista de natação para o Blog Esporte Fino, da Carta Capital.

Sobre o Blog

A Swim Channel é uma editora formada por nadadores que escreve exclusivamente sobre natação sendo eleita a melhor revista do segmento no mundo inteiro no ano de 2012. Através deste Blog, consegue fomentar noticias diárias aumentando o alcance do conteúdo editorial. Acompanhe entrevistas com atletas e personalidades, cobertura dos principais eventos, análises das diversas áreas relacionadas a nossa modalidade.

Blog Swim Channel